Alunos da região são selecionados em programa de intercâmbio

Estudantes selecionados no programa “Ganhando o Mundo” vão para a Nova Zelândia

Esther Kremer

Três alunos do Núcleo Regional de Educação de Irati (NRE) foram selecionados no programa de intercâmbio “Ganhando o Mundo”, do Governo do Estado, com destino para a Nova Zelândia.Os estudantes selecionados são: Larissa Paola Barboza do Colégio Estadual Alberto de Carvalho, de Prudentópolis; Gustavo Lopes do Colégio Estadual Professor Júlio César, de Rebouças e Fernanda Rymsza do Colégio Estadual Dr. Chafic Cury, de Rio Azul.

O programa consiste em proporcionar a experiência de intercâmbio para alunos do 1º ano do Ensino Médio, de escolas públicas do estado. Neste ano, o período da viagem será de três meses. Os discentes são selecionados pelo desempenho em notas, acima da média, e frequência escolar igual ou superior a 85%. As datas para o embarque ainda não estão completamente definidas.

A documentação e passaporte é custeada pela Secretaria de Educação e Esporte do Paraná (SEED) e os estudantes recebem uma bolsa de R$800 mensais para atividades de lazer, os custos com moradia e etc, são fornecidos pelas famílias anfitriãs que acolhem os alunos no país de destino, estas recebem subsídio para abrigar os estudantes.

“É uma oportunidade única e incrível, muitos não teriam essa condição, mas o programa proporciona uma nova visão de mundo” – Fernanda Rymsza

A aluna Larissa Paola Barboza, de Prudentópolis, explica que soube do programa quando estava no 9º ano, pela professora de inglês do colégio, e que ela incentivou os alunos a estudar para conseguir médias altas. A estudante relatou que suas notas foram 10 em todos os trimestres e sua presença quase chegou a 100%.

“Meu objetivo é fazer medicina, mas eu também tinha em mente realizar meu maior sonho que era o intercâmbio e o programa me motivou a estudar. O ano passado, quando estava no 9º ano, foi o que mais me dediquei nos estudos em toda a minha vida”, disse.

Em relação ao destino do intercâmbio, a estudante comenta que está se preparando para o embarque, que sabe falar inglês e tem altas expectativas. “Eu acho que me preparei bastante assistindo filmes de pessoas que caem de paraquedas nos intercâmbios. Sei falar um pouco de inglês, fiz dois anos de curso, acho meu inglês bom. Estou ansiosa para conhecer uma nova cultura e conhecer pessoas”.

“É um programa que incentiva muito, a gente tem uma maior motivação, talvez até mais real para se dedicar. Ano passadoeu pensava em ganhar o intercâmbio, parecia algo mais real e me deu mais motivação para estudar” – Larissa Paola Barboza Gustavo Lopes

A aluna Fernanda Rymsza, de Rio Azul, também foi uma das selecionadas e conta que soube do programa através da diretora do colégio e como as notas variavam de 9 a 10 e tinha poucas faltas, se inscreveu com o intuito de ser uma das escolhidas.

Fernanda diz que está ansiosa pela viagem e que toda a sua família está apoiando a ideia. “Eu estou muito feliz, é uma oportunidade única e toda a minha família está feliz por mim, lógico que vai existir muita saudade, mas é uma oportunidade incrível. Estou muita ansiosa e quero aproveitar tudo ao máximo”.

Já o aluno Gustavo Lopes, de Rebouças, soube do intercâmbio pela professora de inglês do colégio e que a mesma comentou sobre outro estudante, também de Rebouças, que está no Canadá, pelo mesmo programa. “Imaginei que pelas minhas notas eu passaria na pré-seleção, mas não imaginava ir até o fim”, disse.

“O programa é incrível, proporciona que as pessoas mais humildes possam ir para países de primeiro mundo. Quem se dedica aos estudos e leva a sério pode ter uma oportunidade como esta” – Gustavo Lopes

A média do estudante, somando todas as matérias do 9º ano, ficou em 99%, assim como, a sua presença. Gustavo explica que a rotina escolar começa bem cedo, visto que ele mora no interior de Rebouças e o seu colégio fica na área urbana do município, mas que não é um empecilho para a dedicação nos estudos.

Sobre as expectativas para a viagem, ele diz ser algo completamente diferente, mas que está empolgado. “Será diferente, eu nunca sai do Brasil, então, será um choque de cultura. Eu já pesquisei muito sobre a Nova Zelândia, minhas expectativas estão bem altas”, disse.

Processo de seleção

Para ser selecionado, os alunos passaram por três etapas. A primeira consistia em estar apto a participar do programa pela inscrição que analisava as notas do 9º ano do Ensino Fundamental de cada discente. Na segunda etapa, foi selecionado o primeiro colocado de cada cidade, totalizando 399. Para a etapa final, foram selecionados apenas 100 somando os critérios de notas e frequência.

Ao retornar para o Brasil, os estudantes precisam cumprir algumas regras estabelecidas pela SEED – Pr. Dentre elas, ser embaixador (a) do programa Ganhando o Mundo e relatara experiência no intercâmbio por meio de apresentações, palestras e outras atividades programadas pelos Núcleos Regionais de Educação(NREs) e pela SEED, até a conclusão do Ensino Médio.