Baixo índice de alunos motiva fechamento do Colégio São Vicente de Paulo

Após varias discussões sobre a transferência do Colégio São Vicente De Paulo, a Secretaria de Estado da Educação decidiu seu fechamento gradual. Para 2019 não foram abertas matrículas para novas turmas do 6º Ano do fundamental e 1º Ano do médio

 Depois de várias discussões sobre a transferência do Colégio São Vicente de Paulo, em Irati, para a escola do Alto da Lagoa, a Secretaria de Estado da Educação (SEED) decidiu para o fechamento da instituição, que vai acontecer gradualmente. Para o ano de 2019 não foram abertas matriculas para novas turmas do 6º do Ensino Fundamental e 1º ano do Ensino Médio. O principal motivo para o fechamento é a queda no número de alunos matriculados nos últimos anos. Hoje, a instituição de ensino conta com apenas 300 estudantes, entre ensino fundamental e médio. De acordo com o chefe do Núcleo Regional de Educação (NRE), Cleto Castagnoli. Dentre os anos de 2010 a 2018 em torno de 200 estudantes deixaram a instituição. O que pegou mesmo foi o número de alunos, e não o aluguel. Nos três períodos são 300 alunos no total, quem provocou entende que outra escola tem salas ociosas e pode transferir. O estado foi ver e realmente as turmas cabem, então eles vão procurar diminuir custos. A gente sempre tem aquele cuidado e aquele sentimento grande, porque é uma perda muito grande uma escola como o São Vicente ser encerrada assim, mas isso vem se arrastando ao longo do tempo, disse o chefe do Núcleo. Houve uma discussão para a transferência da instituição para a Escola Municipal Mercedes Braga, porém foi analisada a situação do Colégio do Alto da Lagoa e não haveria condições imediatas para a transferência, devido precisar de uma grande adaptação com secretarias, biblioteca, direção, entre outras. Por isso, a ideia foi descartada nesse momento.

O Colégio Duque de Caxias, também localizado no centro da cidade e que tem prédio pertencente ao Estado, está com poucos alunos, tendo 10 salas de aula ociosas, podendo ser utilizadas pelos estudantes do Colégio São Vicente de Paulo, segundo o chefe do NRE, e o departamento do Estado já analisou a situação. Castagnoli explica que podem haver mudanças para o próximo ano, devido a transição do Governo do Estado. Nós estamos no final de ano levito, em transição de Governo, pode ser que haja uma mudança. Eu entendo que o colégio ainda tem três anos para continuar lutando e batalhando para continuar as turmas lá. Vai depender de negociações, mas existe a possibilidade, comenta A partir do próximo ano o São Vicente de Paulo ainda permanece no prédio atual. Agora o colégio permanece onde está hoje, apenas não autorizando matrículas novas. Mas do sétimo ao nono ano funciona normalmente, e assim sucessivamente, até que haja um encerramento das atividades. E passa a funcionar em turno único, observa Castagnoli.

ALUGUEL O prédio onde está o Colégio São Vicente de Paulo é locado. Mas, de acordo com Castagnoli, esse não é o principal motivo do estudo que vem sendo realizado pela SEED e sim a queda de alunos matriculados. Segundo ele, essa diminuição ocorre por diversos fatores, entre eles, por outras instituições ofertarem vagas, como o Instituto Federal do Paraná (IFPR) e escolas particulares. A Sociedade Educacional Irati Ltda, proprietária do prédio, em nota ressalta o valor histórico e cultural do Colégio São Vicente de Paulo, que atua desde os primeiros anos da década de 20. Também afirma que continua interessada em contribuir para o desenvolvimento da educação em Irati. Entre as propostas da Sociedade Educacional Irati está a revisão do contrato e que seja adequada a área locada para considerar, de acordo com o seu critério, somente os espaços efetivamente usados pelo Colégio no ano letivo de 2019, com a consequente exclusão de todas as áreas consideradas ociosas. Também que seja redefinido o valor pago mensalmente a título de locação, de forma proporcional à área efetivamente utilizada.

COLÉGIO Em nota publicada em rede social, o Colégio São Vicente de Paulo informou aos seguidores sobre o fechamento da instituição. É com imenso pesar que informamos a todos que, sem consultar à Comunidade Escolar, estamos em processo de fechamento. Infelizmente, embora a Secretária de Estado da Educação, Prof Lucia Aparecida Cortez Martins, em entrevista à uma rádio da cidade, tenha afirmado que, num primeiro momento estaríamos nos mudando para o Alto da Lagoa, para continuidade de nosso excelente trabalho (e sem atrapalhar outra escola, a qual será grande beneficiada com nosso fim), recebemos por intermédio de consulta ao Planejamento de Turmas de 2019, que não há aprovação de novas turmas de 1º ano do Ensino Médio e de 6º ano do Ensino Fundamental. Estamos profundamente arrasados pela notícia. Irati perde o berço da intelectualidade e do conhecimento. História e Patrimônio de nosso povo trabalhador e esperançoso. A SEED não chamou a Sociedade Educacional Irati LTDA para ouvir as propostas de renovação de aluguel. A SEED não consultou a comunidade para tratar desse assunto tão delicado. Não sabemos qual o futuro de professores, funcionários, alunos, patrimônio e documentação que pertencem ao nosso Colégio, diz a nota. O Colégio também promove uma manifestação na segunda-feira (26), às 9h, contraria a decisão da SEED. Além disso, há um abaixo-assinado organizado por professores e alunos.