BR-153 Sul fica fora da terceirização

Via que passa por Irati e região já foi descartada do novo Anel de Integração do Paraná

Nesta semana, em visita a Irati, o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, deputado Sandro Alex, afirmou que a BR-153 Sul, que passa por Irati e região, não terá a construção do pedágio, pois já foi descartada do novo Anel de Integração do Paraná, que deve acontecer no ano de 2021.

O secretário destacou que a BR-153 Sul, que vai do km 292,8, trevo de acesso à Imbituva ao km 523,7, na divisa do Paraná com Santa Catarina, em General Carneiro, não tem condições, neste momento, de receber uma praça de pedágio, devido ao alto custo que pode gerar a população.

Este trecho da BR, inicialmente, entrou no estudo que está sendo feito das novas concessões, porém foi descartada a possibilidade. “Os estudos estão avançando, a 153 Sul, de Imbituva até Paulo Frontin, já está fora, não haverá pedágio nessa rodovia. É uma rodovia federal, mas já há uma consideração de que não vai entrar no Anel de Integração para pedágios neste momento”, disse Sandro Alex.

O diretor do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), engenheiro Fernando Furiatt, diz que “como aqui não tem acostamento, no sentido sul, ela teria que ter um investimento muito mais pesado e nesse investimento mais pesado elevaria a tarifa do pedágio”.

A BR-153 tem em média, segundo dados do DNIT, um fluxo diário de dois mil veículos, isso somente em Mallet. A preocupação das autoridades é que o pedágio fique muito alto para a população cobrir o investimento feito. “O nosso receio é que se colocarmos um pedágio aqui e em um valor muito alto haja um grito da população. Para poder fazer o investimento necessário, para transformar ela em uma categoria maior, teria que ter um pedágio alto pelo fluxo que tem, e o número de investimentos que precisa ser feito. Então, talvez a população não visse com bons olhos colocar uma praça de pedágio muito cara aqui”, comenta o secretário.

Sandro Alex reforça que a primeira medida para que a BR seja concedida é conclusão da Transbrasiliana, no trecho de Alto do Amparo a Imbituva, uma estrada de chão, que faria com que a BR-153, tanto Norte como Sul, virasse um corredor de exportação para Santa Catarina, o que passa a ser mais atrativa para a construção, pois o fluxo de veículos será maior.

“Eu conversei, por vídeo chamada, com o ministro da Infraestrutura, Tarcisio Gomes de Freitas, e ele se comprometeu a concluir a Transbrasiliana, neste trecho. Com essa conclusão, tanto a 153 Norte como a Sul seria uma só rodovia, ou seja, você cruza o Paraná sentido Santa Catarina, teria um vetor de desenvolvimento muito maior, seria, realmente, mais forte você fazer uma rodovia dessa ser concedida com um preço mais atrativo”, explica o secretário do Paraná.

A BR-153 cruza todo o país, e é conhecida como Transbrasiliana é a quinta maior rodovia do Brasil e tem, aproximadamente, 3.858 quilômetros de extensão. O trecho citado pelo deputado é o único da via que ainda não é pavimentado e para chegar a outra parte da 153 é preciso seguir pela BR-373 e BR-276.

A via é bastante utilizada na região, indo sentido Santa Catarina e Rio Grande do Sul, é usada pelos produtores, 90% do fumo produzido na região passa pela 153. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, de 2015 a 2020 foram registrados 536 acidentes de trânsito na BR-153 Sul, de Imbituva a Paulo Frontin, tendo 577 feridos e 49 mortes, as principais tipos de acidentes foram saída de leito carroçável, colisão transversal e colisão traseira, que corresponde 52,9%.

ANEL DE INTEGRAÇÃO DO PARANÁ

O Anel de Integração do Paraná está sendo elaborado pelo Governo Federal, pois os contratos atuais se encerram em novembro de 2021, por isso, um novo estudo está sendo feito, e já foi anunciado, pelo ministro de Infraestrutura, que o estado terá o maior pacote de concessão de rodovias do Brasil.

O Governo do Estado atua junto na construção das novas concessões. Segundo Sandro, a proposta vai ser inovadora. “Nós vamos apresentar para o ano que vem uma modelagem moderna, inclusão de novas rodovias, uma previsão de redução de tarifas e inclusão de obras que não foram realizadas. Essa é a determinação do governador, junto com o leilão transparente na bolsa de valores, aberto para o mundo”.

A Empresa de Planejamento e Logística S.A (EPL) e o International Finance Corporation (IFC), do Banco Mundial, são os responsáveis pelas análises e ainda não foi divulgado como serão os lotes, e será anunciado depois de finalizado o levantamento.

Via vai do km 292,8, trevo de acesso à Imbituva ao km 523,7, na divisa do Paraná com Santa Catarina, em General Carneiro