Campanha contra Gripe e Sarampo tem baixa procura em Irati

Vacinação encerra nesta semana. Ainda faltam 46% das pessoas para receberem a dose contra a influenza e 57% das crianças contra o Sarampo

Jaqueline Lopes e Assessoria

Encerra nesta semana, na sexta-feira (03), a Campanha Nacional de Vacinação contra influenza e Sarampo. Nas duas modalidades a adesão está baixa em Irati. A cobertura vacinal geral dos grupos prioritários para influenza está em 54%, dados que preocupam a Secretaria de Saúde. Já de Sarampo apenas 43% das crianças foram imunizadas no município.

De acordo com a enfermeira chefe da epidemiologia, Denise Homiak Fernandes, os dados preocupam a secretaria de saúde, pois significa que um grande número da população, que já é mais suscetível e vulnerável a ter sérias complicações está desprotegido, o que pode levar a temer futuros óbitos por influenza. Além disso, a entrada do inverno e a grande quantidade de vírus que provocam sintomas respiratórios circulando na nossa região também são preocupantes para o setor.

Já a campanha do sarampo, todas as crianças entre 6 meses e 4 anos deveriam receber a dose, porém apenas 43% das foram imunizadas, “fato que acaba deixando os chamados “bolsões de suscetíveis”, ou seja, local onde tem muita gente desprotegida, que propicia a reentrada do vírus e consequente identificação de novos casos da doença”, disse Denise.

Assista à entrevista com a Enfermeira Denise.

Vídeo: Folha de Irati

VACINAÇÃO COVID

Em relação à vacinação contra a Covid-19, foi identificado que na população geral acima de 5 anos, cerca de 3000 pessoas (5,97 %) não tomaram a segunda dose da vacina e por volta de 15.000 (34,08%) não receberamo reforço 1. Na população específica acima de 60 anos, cerca de 2 000 (9,10%) não tomaram o reforço 1 e mais de 6000 (59,39%) não tomaram o reforço 2.

Portanto, a Secretaria de Saúde alerta, mais uma vez, a população que não está com esquema vacinal em dia, que procurem atualizar, pois a aliança entre a vacinação, hábitos como etiqueta respiratória, higiene das mãos, uso de máscara e isolamento no caso dos pacientes com sintomas gripais, são a chave de sucesso para vencermos mais esta fase de aumento de casos, tanto de Covid como de infecção respiratória provocada por outros vírus.