Capimar lança Lata do Mate para homenagear os 110 anos de Mallet

Novo produto teve a contribuição de pinturas dos artistas locais

Karina Ludvichak

No dia 14 de maio, Mallet teve o primeiro evento em comemoração ao aniversário de 110 anos do município. O evento contou com roda de chimarrão, apresentações culturais, exposição de artes e venda de lanches. Além disso, a empresa Capimar, que passará a se chamar Capeleti, lançou um novo produto, a Lata do Mate, em homenagem aos malletenses.

A Lata do Mate é um produto pensado para o consumo individual do chimarrão, visando o cenário atual da pandemia devido à covid-19. Segundo Ericson Marchal, representante da Capimar, a empresa está sempre buscando inovar, e como o município de Mallet é um dos grandes consumidores dos produtos, a Lata do Mate foi uma forma de agradecê-los e homenagear o município pelos 110 anos. “Elizabete Capeleti, que está à frente da empresa, busca inovações, sempre está procurando fazer alguma coisa diferente para fugir só do chimarrão tradicional. Então, ela vem com novas ideias, por exemplo, essa que foi para homenagear o município de Mallet, que prestigia desde o início nosso produto”, comenta Machal.

Os artistas receberam certificados pelos trabalhos realizados | Foto: Sec. de Cultura de Mallet

O novo produto teve a colaboração dos artistas locais, que tiveram suas pinturas impressas na lata do mate. Dentro da lata personalizada vem uma cuia pequena, que serve até 1L, uma bomba e um pouco de erva mate. Ela foi feita em edição limitada, vendida apenas no evento, por enquanto. Nilvan Lucas, um dos artistas, que teve sua pintura impressa nas latas, conta que fez um curso de pintura por três anos e que decidiu pintar locais da cidade que eram mais conhecidos pela população.

Moacir Szinvelski, prefeito de Mallet, diz que organizar a primeira comemoração dos 110 anos do município é difícil diante do cenário da pandemia, mas que estão tentando fazer da melhor maneira possível, buscando valorizar, também, a cultura e arte local, dos artistas que fazem suas obras em função da erva mate. “Nós somos felizes por estar nestes 110 anos, e queremos fazer a homenagem aos nossos imigrantes, que trouxeram as raízes, mas, também, queremos prestigiar, que essa população que hoje trabalha para trazer recursos impostos para o nosso município. E claro, nós queremos fazer a festividade não muito grande porque a Covid ainda existe, mas, com certeza, vai ser uma das melhores festas dos últimos 110 anos do município”, comenta Moacir.

O prefeito ressalta, ainda, que o município de Mallet é o único da região que possui 85% do cultivo total da erva-mate sombreada, que pertence a indicação geográfica do mate.

O produto é uma forma de homenagear o município de Mallet | Foto: Sec. de Cultura de Mallet

Os artistas também receberam certificados como forma de reconhecimento pelos trabalhos realizados. Maria Margarete Grden Szinvelski, secretária de Cultura e Turismo, fez a entrega dos certificados e comenta como surgiu o projeto de colocar as artes realizadas por adolescentes em latas do mate. “Todas as quintas-feiras, 15 artistas se reúnem na Biblioteca Miguel Bakun, onde recebem orientação do artista plástico Israel Checozi.

O grupo de artista faz parte, também, de um grupo maior, que é o de artistas plásticos do Vale do Iguaçu, eles pintam as telas e as doam, e uma das doações foi feita para o espaço cultural e histórico que a Capimar organizou, a partir disso surgiu a proposta de divulgação dos artistas, as telas foram de livre escolha”, disse.

Maria diz que, além da parceria para a divulgação das artes na lata do mate, eles receberam uma segunda proposta, que será lançada em setembro deste ano, no mês do aniversário de 110 anos de Mallet, com a primeira turma do projeto e com as primeiras telas. “Quero deixar claro que a lata do mate ela não é da Secretaria da Cultura, não é dos artistas, ela pertence à empresa Capeleti, que investiu nessa lata. Foram doadas essas telas para a empresa, ela imprimiu na sua lata, e vai comercializar”, esclarece Maria.

O evento contou com apresentações culturais da tradição gaúcha, como dança e poesia. E também teve a transição da coroa da rainha da 24° Kiwi Fest, a atual rainha passou a coroa para a princesa, pelo fato de estar grávida e não conseguir acompanhar os eventos. Margarete agradeceu pela participação de Laine e desejou tudo de bom para ela na nova jornada, e deu as boas-vindas a nova rainha, Angelica.