Cleonice Schuck participa de evento em prol da Luta Antimanicomial

Karina Ludvichak

O dia 18 de maio é marcado pelo dia Nacional da Luta Antimanicomial, por isso, o Centro de Atenção Psicossocial II (CAPS II) e o Consórcio Intermunicipal de Saúde das Associações dos Municípios do Centro-Sul do Paraná (CIS Amcespar) promoveram na quinta-feira (18), na Rua da Cidadania, no Centro de Irati, um evento para relembrar a importância do movimento. Na ocasião, estiveram presentes autoridades locais, representantes do CAPS II e CIS Amcespar, profissionais da saúde, pacientes, prefeitos de municípios vizinhos e demais convidados.


A cerimônia, que teve início às 13h30, contou com exposições de artes e cartazes, apresentações culturais como música, teatro e dança, além dos debates importantes acerca do tema.


O evento expos aos convidados parte da história dos tratamentos da saúde mental no Brasil que é pouco conhecida por parte da sociedade. E teve como objetivo ressaltar a importância de um tratamento digno, e a luta pelos direitos das pessoas com sofrimento mental. “Dentro desta luta está o combate à ideia de que se deve isolar a pessoa com sofrimento mental em nome de pretensos tratamentos, ideia baseada apenas nos preconceitos que cercam a doença mental. O Movimento da Luta Antimanicomial faz lembrar que como todo cidadão estas pessoas têm o direito fundamental à liberdade, o direito a viver em sociedade, além do direto a receber cuidado e tratamento sem que para isto tenham que abrir mão de seu lugar de cidadãos”, explicou a cerimonialista Luiza.


A prefeita de Fernandes Pinheiro e presidente do CIS/Amcespar, Cleonice Schuck, aproveitou o momento para ressaltar que, atualmente, o CAPS II e CIS/Amcespar disponibilizam atendimento de forma regional a todos os pacientes de saúde mental de médio e alto risco dos nove municípios consorciados. “Recebemos um recurso de pouco mais de R$ 33 mil reais e complementamos com recursos próprios dos municípios para que seja possível manter de forma humanizada os atendimentos aos usuários com médico psiquiatra, psicólogos, assistente social, enfermeiros, técnicos de enfermagem, além de fornecimento de alimentação e de transporte aos pacientes e acompanhantes e toda a estrutura necessária”, explicou a presidente.

Cleonice explica que esses pacientes necessitam de “reinserção social, de reabilitação psicossocial, de amor, carinho e atenção especial. Nossa equipe trabalha diariamente no intuito de ajudar os pacientes a se sentirem parte integrante e fundamental na sociedade”.

A diretora técnica e administrativa do CIS/Amcespar, Angela Maria da Cruz Cardoso, aproveitou o momento para ressaltar a importância da data e agradecer a colaboração e participação de todos. “Agradecemos a presença da equipe do CIS/Amcepsar e em especial a equipe do CAPS II Do CIS que com muito carinho, empenho e dedicação organizaram todo este evento”.

Cerimônia teve exposições de artes, cartazes e apresentações – Foto: Sthefany Brandalise

Durante a cerimônia, a prefeita de Fernandes Pinheiro relembrou de uma frase de Nise da Silveira, médica psiquiátrica brasileira reconhecida mundialmente pela sua contribuição à psiquiatria: “Não se curem além da conta. Gente curada demais é gente chata. Todo mundo tem um pouco de loucura. Vou lhes fazer um pedido: Vivam a imaginação, pois ela é a nossa realidade mais profunda. Felizmente, eu nunca convivi com pessoas ajuizadas”, finalizou Cleonice.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.