Coordenador do COEF alerta sobre medidas de proteção no dia das eleições municipais

Máscara e distanciamento social serão obrigatórios 

O coordenador do Centro de Operações Especiais e de Fiscalização da Covid-19 de Irati (COEF), Agostinho Basso, faz orientações de como se proteger do coronavírus no dia das eleições 2020, que é neste domingo (15). Considerando que na maior parte das seções há filas, então, o primeiro passo é manter o distanciamento social de no mínimo um metro e meio. O uso de máscara deve acontecer o tempo todo e por todas as pessoas, sejam eleitores ou mesários. Cada eleitor pode levar álcool gel para fazer uso pessoal e se prevenir do vírus.

Basso fala sobre o cuidado que cada um deve ter com o distanciamento e o uso correto da máscara. “Sabemos que terá alguém cuidando das filas, mantendo a distância entre os eleitores, mas caso esta pessoa esteja ausente em algum momento, as pessoas precisam ter consciência de se cuidarem, mantendo distância tanto na frente quanto atrás. A máscara deve ser usada desde que a pessoa sai de sua casa até retornar, tapando o nariz e a boca, não deve ser tirada para conversar, que é muito comum as pessoas fazerem isso”, disse o enfermeiro.

Nas seções haverá kits com álcool gel, mas a recomendação é que cada eleitor leve seu frasco para que use sempre que necessário. “Vai ter álcool gel nas urnas para usar, mas pode que a pessoa precise usar o banheiro ou toque em algumas superfícies, e por isso, é importante cada um levar o seu para se higienizar”, explica Agostinho.

O QUE LEVAR E USAR NO DIA DA VOTAÇÃO

– Máscara;

– Álcool gel;

– Título de eleitor (físico, ou digital por meio do aplicativo e-Título);

– Documento com foto;

– Caneta esferográfica azul ou preta.

O horário de votação é das 7h às 17h.

Agostinho informa a importância de cada um levar sua caneta e permanecer no local de votação somente o tempo necessário. “É recomendado que cada um leve sua caneta para assinar a súmula de votação, assim evita de usar a caneta que fica disponível para todos. As eleições sempre foram momentos de encontro, pessoas que moram em outras cidades, mas votam em Irati, por exemplo, se encontram e conversam sobre como foi o pleito eleitoral, mas neste ano pedimos para que isso não aconteça, pedimos para que os eleitores vão apenas para votar e retornem para as residências seguros”, afirma o coordenador.

Além dos cuidados fora de casa, o coordenador do COEF ressalta que é preciso fazer a higiene correta das mãos assim que retornar para casa, lavar as mãos com água e sabão por no mínimo 20 segundos.

GRUPO VENCEDOR, CUIDADO!

As medidas de proteção contra a Covid-19 não são apenas aos eleitores, mas também ao grupo vencedor, que naturalmente ficarão eufóricos para comemorar a vitória. “É saudável comemorar, e após o resultado, os candidatos se livrarão de todo o fardo carregado durante a campanha, então é normal que queiram festejar, mas neste ano a gente pede que evitem ao máximo aglomerações, visto que em Irati e no Paraná os números de coronavírus estão crescendo, por isso é preciso ter essa responsabilidade. Sei que o que eu estou pedindo é difícil, mas peço em nome do COEF aos partidos e às pessoas que estão a frente que pensem em outra forma de comemorar esta vitória, e sigam os cuidados, evitando ao máximo as aglomerações”, informa Basso.

ELEITORES EM ISOLAMENTO DOMICILIAR

A recomendação médica é de que as pessoas que estão contaminadas com o vírus da Covid-19, e cumprem isolamento domiciliar, não saiam de casa nem mesmo para votar, pois possuem um atestado que diz que não devem sair de suas residências até que recebam liberação da epidemiologia.

Todos que esperam o resultado do exame também têm o atestado e devem de cumprir o isolamento domiciliar. “Temos que cumprir o isolamento estas pessoas vão até a Justiça Eleitoral, munidas do atestado e justificam o voto, sem precisar pagar multa. Vai ter muita pressão para que todos vão votar, pois pessoas envolvidas em campanhas e partidos podem estar em isolamento, mas aí entra a responsabilidade de cada um e o cumprimento do código civil que comtempla colocar em risco a população e o desrespeito à autoridade sanitária e propagar doenças infectocontagiosas”, finaliza o coordenador.