Deputado estadual subtenente Everton inicia projeto Pedala Paraná e visita Irati

Ele carrega a bandeira da pessoa com deficiência, defende a inclusão e o para desporto

O projeto Pedala Paraná partiu de um sonho do deputado estadual subtenente Everton (PSL), em levar a bandeira com o símbolo internacional da pessoa com deficiência, para que as pessoas saibam que ele defende a inclusão. A pedalada iniciou dia 23 de novembro, em Curitiba, e na terça-feira (24), o deputado visitou Irati, conversou com a equipe da APAE, dedicou o dia conhecendo mais a realidade do município e apresentando seus projetos.

PEDALA PARANÁ

O deputado vai percorrer nos próximos dias, aproximadamente 1.500 quilômetros de bicicleta pelas estradas paranaenses. O projeto – intitulado Pedala Paraná – tem como objetivo fomentar o ciclismo e o paraciclismo como ferramentas de inclusão social, iniciação esportiva e lazer para crianças, adolescentes e pessoas com deficiência.

O subtenente, que é coordenador da Frente Parlamentar do Paradesporto na Assembleia Legislativa do Paraná, vai aproveitar a oportunidade para visitar diversas instituições filantrópicas sediadas em, pelo menos, 18 cidades paranaenses e vai fiscalizar, também, o serviço oferecido pelas concessionárias que administram as estradas que cortam o estado.

PORQUE APOIAR A INCLUSÃO

Segundo o subtenente, no Brasil, estima-se que 20% da população tem algum tipo de deficiência. “Se formos pensar nos 200 milhões de habitantes do pais, 20 milhões têm alguma deficiência, dá praticamente quatro estados do Paraná. Para entender o tamanho da gravidade do problema”, disse o deputado.

Hoje, a deficiência que mais se fala é o autismo, que tem várias terapias, e os responsáveis por uma criança autista precisam ir atrás de todos estes tratamentos. “Escolhi esta área porque a pessoa com deficiência é completamente abandonada pela sociedade. Temos as APAEs que são referências para acolher os deficientes e suas famílias, mas o problema é muito maior”, afirma Everton.

A maioria dos municípios do Paraná não têm um neuropediatra, o que dificulta a vida dos pais que se deparam com uma deficiência nos filhos. “Começa aí, o primeiro grande problema, que é essa avaliação do neuropediatra, o segundo problema é o laudo, muitas vezes é preciso pagar para conseguir este laudo”.

No mês de outubro foi aprovado o projeto de lei 449/2020 do deputado subtenente Everton que torna o laudo da pessoa com autismo com prazo indeterminado. “Porque antes a mãe da criança ficava nessa dificuldade de conseguir o laudo que valia só por alguns meses, sendo que já esteve por anos na fila para conseguir o diagnóstico. Então, o meu projeto é olhando todos estes problemas e vendo, será que ninguém vai fazer nada por estas pessoas? Por isso, eu abracei a causa da pessoa com deficiência e sou o deputado da inclusão”, ressalta o subtenente.

No dia 03 de dezembro é comemorado o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência e o projeto estará em andamento neste dia. “Quero que as pessoas saibam que tem alguém na política que defende esta causa, que tem um doido pedalando de bicicleta pelo estado levando a bandeira da pessoa com deficiência, pedalando quilômetro por quilômetro para mostrar que os problemas de inclusão existem e que precisamos se ajudar”, finaliza o deputado.