Em execução na fase II, Canal Hídrico muda o cenário de inundações em Irati

Com investimento de quase R$ 2 milhões, a obra deve marcar a gestão do prefeito Jorge Derbli

Esther Kremer

A Prefeitura de Irati está trabalhando para concretizar, ainda em 2024, a conclusão da segunda fase do Canal Hídrico, um projeto de alta complexidade que visa amenizar os riscos dos alagamentos no Centro da cidade. A obra está cerca de 18% concluída.


Com um investimento de quase R$ 2 milhões, a obra, iniciada no ano passado, vai se estender por um trecho de 252m, iniciando na Rua da Liberdade, chegando ao prolongamento da Rua General Carneiro, no encontro com o Rio das Antas. Deste valor, investido inicialmente, R$ 955 mil são provenientes do Ministério do Desenvolvimento Social, conquistados através da deputada federal Leandre Dal Ponte e R$ 946 mil de contrapartida.


Segundo o prefeito Jorge Derbli, a obra teve um atraso grande devido a licitações desertas. “Nós recebemos o recurso, mas tivemos licitações desertas, até que a empresa Unas, da Diana Serbay, ganhou, uma empresa de Irati e está em processo de andamento agora. O objetivo é permitir melhor a vasão da água e não alagar o Centro da cidade”, disse o prefeito.


A secretária de Arquitetura, Engenharia e Urbanismo, Jéssica Custódio, enfatiza a complexidade do projeto, o que justifica a demora em sua finalização. No entanto, ela ressalta que essa obra é emblemática e deve representar um marco da gestão de Derbli.


“Nós temos diversas intervenções, é uma alta complexidade, muitas vezes até o que está projetado e planejado não cabe na hora da execução. As peças que vão na obra, são pré-moldadas, então tem um tempo de fabricação, um tempo de cura que precisa ser respeitado, pois, se não, na hora do transporte elas acabam quebrando. Quando elas chegam precisam ser encaixadas corretamente e depende do clima, pois se tiver uma vasão de água grande já não tem como trabalhar “, afirma Jéssica.


Ainda, a secretária explica que outro problema que dificulta toda a obra é a questão dos canos e fiações que passam por baixo das ruas. “É preciso fazer o remanejamento desses canos e cabeamentos, tudo isso deixa a obra mais demorada. Ainda, há a questão do desapropriamento dos moradores, por conta do alargamento do rio. Queremos finalizar logo todas as interferências, o mais rápido possível, como é uma obra embaixo do solo, fica mais dificultoso”, explica.


FASES DO CANAL HÍDRICO
A Fase I da obra já foi concluída, ela teve início na primeira gestão Jorge Derbli, em 2018, e começou na Rua Munhoz da Rocha, Centro, se estendeu pela Rua Conselheiro Zacarias, em frente à Praça da Bandeira. Foi necessário, também, realizar drenagem na Rua Munhoz da Rocha, e isso causou um certo transtorno no trânsito da cidade para a conclusão da mesma, visto que foram cerca de 200 metros de extensão para fazer que o rio desembocasse no Arroio dos Pereiras, na Rua da Liberdade.


A Fase II da obra, que está sendo realizada agora, chegará até a Rua General Carneiro, no encontro com o Rio das Antas. Segundo o prefeito Jorge Derli, a desapropriação já foi realizada e a obra está “caminhando”.

A Fase III está sendo realizada dentro de uma propriedade privada, de Emilio B. Gomes, e realizada com recursos próprios da empresa Gomes, mas semelhante ao que está sendo feito pela Prefeitura.

A Fase VI, ainda em fase de discussão, já tem aporte financeiro no valor de R$ 6 milhões para ser iniciada. “Estamos negociando junto ao Governo do Estado a liberação desse recurso, um esforço do Toninho Kuminski com o secretário estadual das Cidades, Eduardo Pimentel, e o projeto já está em andamento. Está Fase passaria da Rua Munhoz da Rocha, pela Rua Carlos Thoms, por dentro do pátio do Oscar Thoms e chegaria até a Fase III da obra”, diz Derbli.


O prefeito ainda explica que está obra tem diversas complexidades, visto que são muitas licenças ambientais necessárias. “Precisamos disso, principalmente, em pontos onde precisamos mudar o curso do rio, mas está acontecendo. A nossa gestão, nesses oito anos, sempre tem feito muito por esse problema, que é o alagamento do Centro da cidade. Sempre limpando e fazendo a dragagem do Rio das Antas, fazendo o possível por esta obra do Canal Hídrico, tudo para amenizar o problema. Já amenizou bastante”, disse.


A vice-prefeita do município, Ieda Waydzik, esteve presente e afirmou a importância da obra para o município. “Essa obra vai amenizar a preocupação com as enchentes aqui na área central. É um alívio grande”, comenta.

A conclusão da Fase II do Canal Hídrico representa não apenas um investimento em infraestrutura, mas também um compromisso da gestão envolvendo o bem-estar da população. “Queremos, ainda este ano, concluir a Fase II e iniciar a Fase VI com este recurso do Governo do Estado”, finaliza Derbli.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.