Empresa de Rebouças está entre as melhores indústrias para trabalhar do Brasil

A pesquisa foi dividida em empresas de médio e grande porte e o resultado foi divulgado pela GPTW em parceria com a CNI

Na terça-feira (09), a Great Place to Work Brasil (GPTW) divulgou uma pesquisa que nomeia as melhores 80 indústrias brasileiras para trabalhar em 2020. Na lista está uma empresa de Rebouças, na Região Centro-Sul do Paraná. A Compensados Drabecki ficou em 21ª colocação na categoria de Indústrias de Médio Porte. Esta foi a 1ª edição do ranking Indústria nacionais pela GPTW. Ao todo foram 244 empresas inscritas, representando 343.858 funcionários, destas, foram premiadas 40 empresas de grande porte e 40 de médio porte.

A Drabecki está no mercado há três gerações e trabalha com vários segmentos como a indústria de mobiliário, construção civil, casas, confecção de barcos, pisos, moldes para motores, pista de skate e caixas de som. A empresa atende a região sul e sudoeste do país e desde 1990 exporta cerca de 80% da produção para diversos países da América do Sul, América do Norte, Europa, Oceania.

Com um quadro de 160 colaboradores diretos e alguns terceirizados, a empresa já havia sido premiada anteriormente. Durante cinco anos ficou entre as melhores empresas para trabalhar no Paraná. A empresa trabalha com três princípios: cuidado com as pessoas, incentivo aos negócios e estímulo à cidadania. A Presidente Eliana Maria Bueno Drabecki Moreira acredita que a premiação veio como uma resposta a essas propostas. “É um belo presente, ainda mais porque quase 70% da nota de classificação vem da votação e satisfação dos colaboradores. Os outros 30% são dos trabalhos desenvolvidos”, afirma.

A indústria, junto com alguns parceiros, presa por saúde e segurança com programas internos de prevenção e cuidados, exames anuais, Carreta do Combate ao câncer; Educação (EJA) com cursos de formação e aula de inglês com bolsas para alunos da rede pública, colaboradores e filhos e Folha na Escola incentivando a leitura e convívio familiar; Cultura com teatros e apresentações diversas; Trabalhos Sociais em creches, hospitais, lar dos velhinhos de Rio Azul, escolas, X-Solidário, Festival Live to Save Lives, entre outros.

A pesquisa foi composta por duas etapas: a primeira foi uma pesquisa quantitativa, e a empresa precisou atingir a amostra mínima de funcionários e obter uma nota igual ou superior a 70%. Já a segunda etapa são as práticas culturais, após atingir a fase quantitativa, a indústria passou para a fase de avaliação das práticas das empresas. O resultado foi divulgado em um evento online em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI).