Empresas da região poderão ser priorizadas na nova concessão da Flona

Através da Deputada Leandre, a Amcespar e prefeituras realizaram a solicitação ao Governo Federal

Amanda Borges, com reportagem de Jaqueline Lopes

Desde julho de 2021, a Floresta Nacional de Irati faz parte do Plano de Parcerias de Investimentos (PPI), projeto que viabiliza o processo de concessão da Flona. Para que a região consiga ainda mais benefícios no convênio, a Amcespar, em parceria com o ICMBio, encaminhou um documento ao governo federal que solicita a priorização na contratação de empresas locais para o manejo da floresta.A decisão foi tomada na primeira reunião do ano da associação, no dia 24 de janeiro, e será intermediada com o apoio da Deputada Leandre dal Ponte.
Junior Benato (presidente da Amcespar e prefeito de Inácio Martins), Jorge Derbli (prefeito de Irati) e Leandre, foram até Brasília para iniciar as negociações sobre a concessão da Flona no Ministério da Agricultura e com a própria ministra Tereza Cristina, durante um breve encontro.
Eles foram recebidos pelo diretor-geral adjunto do Serviço Florestal Brasileiro, João Crescêncio, coordenadora-Geral de Concessão Florestal, Cristina Galvão, e administradora do Departamento de Estruturação e Projeto de Infraestrutura Socioambiental, Ludmila Costa, e o chefe do Departamento de Estruturação de Projetos de Infraestrutura Socioambiental do BNDES, Robson Oliveira.
“Queremos que todo o desenvolvimento que toda a riqueza gerada por essa concessão possa ficar também na nossa região. Para poder desenvolver a região com geração de renda, emprego e riqueza”, declara Leandre diretamente do Distrito Federal.
A respeito da visita, Junior conta que o objetivo é que, assim que o processo licitatório iniciar, uma cota seja reservada a empresas regionais. “Porque se não nós vamos perder para as grandes empresas, inclusive de fora do nosso estado”, explica. Além disso, Junior explana que os gestores têm o dever de prezar para que os recursos provindos das riquezas pertencentes à nossa região se mantenham aqui.
Ainda, a Prefeita de Fernades Pinheiro, Cleonice Schuck, concorda com o presidente da associação. “Gostaríamos muito que essas empresas participassem da concessão, porque são frutos daqui, da nossa região. São empresas que estão aqui gerando diretamente empregos e que, com certeza, conhecem muito bem a nossa realidade”, compartilha.

“Gostaríamos muito que essas empresas participassem da concessão, porque são frutos daqui, da nossa região. São empresas que estão aqui gerando diretamente emprego e que, com certeza, conhecem muito bem a nossa realidade” – Cleonice Schuck

O Diretor da Floresta Nacional de Irati, Geraldo Machado Pereira, diz que a solicitação é válida. “É muito benéfica essa iniciativa dos prefeitos se organizarem para tentar manter na região mais subsídios relativos ao projeto que está se desenvolvendo, eu acho justo”. Além disso, tendo em vista o andamento do processo, Geraldo estima que o edital para a nova concessão saia no segundo semestre de 2022.
o que mudará com a nova concessão?
Geraldo explica que o projeto não tem como objetivo a exploração madeireira extrativista da floresta. Na realidade, o objetivo da concessionária contratada será realizar o manejo e manutenção de todo o espaço. “O importante explicar à população é que, não é o corte, a retirada de madeira floresta, mas sim o manejo da floresta”.

Negociações foram realizadas na presença da ministra Tereza Cristina – Jaqueline Lopes

Assim que a nova empresa começar a operar, a Floresta terá melhorias perceptíveis para toda a população, como por exemplo, as condições de acesso aos visitantes serão melhoradas. Outro aspecto crucial do projeto é que ele deverá facilitar a coleta de dados para elaboração de pesquisas científicas, inclusive por pesquisadores da UNICENTRO e universidades locais. Da mesma maneira, haverá uma maior circulação financeira na região, devido ao comércio, contratação e turismo, consequências diretas da novidade.
“Isso que é importante, já que vai trazer muito informação para trabalhos científicos, vai trazer emprego e renda para região toda, vai trazer a circulação de recursos financeiros, a melhoria nas instalações da floresta nacional, ou seja: todos vão ser beneficiados”, finaliza.