Fernandes Pinheiro adota novo método de ensino na rede municipal

As aulas acontecem via Google Meet e possibilitam uma interação em tempo real

Esther Kremer

A quase um ano e meio sem aulas presenciais, os professores e a Secretaria de Educação de Fernandes Pinheiro fazem o uso da tecnologia para diminuir a defasagem no ensino. Uma estratégia adotada em conjunto, foi a utilização da ferramenta Google Meet, capaz de transmitir reuniões ao vivo.
O secretário de educação, Sérgio Gomes, explicou que no início da pandemia pensava que seria algo passageiro, mas que este ano sentiu a necessidade de reinventar o modelo de educação. Durante o mês de maio, após ouvir relatos de alunos da rede estadual e também sugestões de professores, adotou o modelo de aula via meet, primeiramente como um teste, mas visto que o resultado foi positivo, manteve este método.
Para o secretário, é importante que esse modelo continue, pois existem alunos que não tem acesso a rede de internet e os pais enfrentam dificuldades em relação ao horário das aulas. Mesmo agora fazendo com o uso das meets, o envio do material impresso não parou.
Além das meets e do material impresso, os professores ainda fazem o uso de vídeos, áudios e grupos no WhatsApp para sanar a dúvida de todos os alunos, assim é garantido que nenhum discente fique desamparado em relação aos estudos.
Desde o ano passado, é feito o envio das atividades impressas aos alunos, estas, são previamente elaboradas pelos professores. A cada 15 dias os pais vão até a escola e retiram as atividades para realizá-las com os filhos.
Mesmo que para muitas escolas e professores, a aula via Google Meet seja um avanço, em outras áreas do município não teve boa adaptação, pois não há facilidade em acessar a internet, no âmbito rural os pais e docentes relatam a dificuldade.
A Escola Rural Municipal Presidente Costa e Silva, localizada no Assungui, zona rural de Fernandes Pinheiro, por meio de um documento enviado pelo diretor da mesma, Jeferson Alves Pires, relata a opinião dos pais dos alunos nesse momento em que o uso das mídias sociais é tão importante. “Os vídeos, fotos e áudios são mais aceitos principalmente por não ser necessário o acesso naquele exato momento, como ocorre com as meets”. O diretor ainda afirma que os pais aceitam melhor as atividades impressas, pois causa certa revolta nos mesmos, em saber que apenas uma parte dos alunos tem acesso a essa nova ferramenta de ensino.
O secretário Sérgio Gomes, enfatiza que neste momento de dificuldades em relação ao ensino, é importante a interação da escola também com os pais dos alunos, e garante que nenhuma criança fica desassistida, pois, agora, que o distanciamento social é tão importante, a Secretaria de Educação e os professores estão sempre buscando fazer o melhor trabalho em prol da educação.


Relato de algumas professoras da rede municipal em relação às aulas via meet

O novo método de ensino adotado pela Secretaria de Educação, diverge opiniões entres os professores, pois é útil como um complemento, mas não como a única forma de ensino e auxílio aos alunos.
A professora Regiane Aparecida de Jesus atua no 2º ano do Ensino Fundamental, na Escola Municipal Bituva dos Machados, e relata a experiência com o novo modelo. “Tenho aprendido muita coisa nesse tempo, muita coisa eu tive que me reinventar como profissional, trabalho através de vídeo aula, material impresso e também, agora, com essa nova ferramenta para nos auxiliar e nos ajudar no ensino das nossas crianças, que são as meets. Essas aulas meets são muito importantes. Tenho percebido que, através delas, tenho tido um retorno muito bom das atividades”, a professora comenta que os alunos estão mais participativos e entusiasmados com as aulas, pois assim, conseguem ter contato também com os colegas.
A professora do 5º ano, Marli Terezinha Viegandt Sausen, da Escola R. M. Professora Genny S. Kuller, relata que, ”atividades impressas, não são suficientes para ensinar o aluno, pois a aprendizagem se dá por meio da interação professor aluno”.
Cintia Aparecida Bonfim, professora do 5º ano, comenta sobre a experiência “A nossa casa passou a ser a nossa sala de aula, e acabamos entrando na casa dos alunos através das aulas meet, ainda não conseguimos alcançar 100%, mas com os que acompanham as aulas pôde-se ter uma noção de como está sendo o desenvolvimento em casa” a professora também alerta que, mesmo que as aulas via meet tenham bons resultados, não substituem o ensino presencial, visto que é importante o professor estar atento ao desenvolvimento motor e cognitivo das crianças.
Mesmo que o método de ensino tenha sido modificado, a professora Thaís Padilha Goys continua aplicando as aulas de reforço aos alunos do 3º, 4º e 5º da Escola Municipal Floresval Ferreira, “são os alunos que necessitam de uma atenção maior. Além da atividade em folha, preciso ter contato com os alunos através das mídias”, disse. Contudo, a docente enfatiza que não está sendo fácil, pois nem todos os alunos participam das aulas.


CMEIS

Além das escolas de Fernandes Pinheiro, os CMEIs do município também utilizam das mídias sociais para a melhoria nas aulas, entretanto, as professoras relatam uma dificuldade em utilizar esses novos métodos.
O CMEI Tia Aurora mostra que não tive bons resultados, “as atividades enviadas no formato de apostila apresentam resultados melhores e maior participação dos alunos, já que muitas crianças ficam com outras pessoas durante o dia (avós, irmãos, etc.) e acabam não enviando os vídeos das atividades propostas, tendo alguns casos também de famílias que não tem acesso à internet”. O CMEI também relatou que no dia 17/06, logo após uma semana toda de atividades remotas, todos os pais entregaram o material de seus filhos, provando que as atividades impressas geram um resultado maior na educação infantil.