Imbituva realiza 14º Conferência de Assistência Social para discutir o SUAS

Kauana Neitzel

A Gestão Municipal de Imbituva, por meio do Conselho Municipal de Assistência Social, realizou na última semana (06) a 14° Conferência de Assistência Social do município, o tema central tratado foi a ‘Reconstrução do SUAS: o SUAS que temos e o SUAS que queremos’, no Pavilhão da Igreja Matriz Santo Antônio. As conferências de assistência social são instâncias que têm por atribuições a avaliação da política de Assistência Social e a definição de diretrizes para o aprimoramento do Sistema Único de Assistência Social (SUAS).


Durante a tarde de reunião foram debatidos os cinco eixos norteadores para aprofundar o conhecimento do tema central do Sistema Único de Assistência Social, que são o financiamento, controle social, articulação entre os segmentos, serviços, programas e projetos, benefício e transferência de renda.


Todos os eixos tiveram propostas voltadas especialmente para o município, Estado e União. Além disso, ocorreu a escolha do representante do município que participará da Conferência Estadual, que ocorrerá em outubro de 2023, na cidade de Cascavel.


A Gestão definiu a Conferência como ‘um sucesso total’, com a participação de mais de 180 pessoas. Durante a tarde também foram realizadas algumas apresentações por grupos de dança.


A secretária de Assistência Social, Cleide Kubaski, conta que a 14° Conferência foi de suma importância para todo o município. “Com o tema central “Reconstrução do SUAS, o SUAS que temos e o SUAS que queremos”, pudemos discutir e propor ações de evolução para a política de Assistência Social. Tivemos as pré-conferências também, para discussão dos eixos de trabalho e contamos com a participação de mais de 180 pessoas no evento”, destacou.


Renata Borsa, que é psicanalista clínica e atua na Prefeitura de Imbituva como Articuladora da Rede de Proteção Local, ela foi convidada para realizar a palestra Magna na Conferência, onde abortou o tema da reconstrução do alicerce. “Mostrando a importância que podermos fazer ao usuário. Os serviços são uma forma de qualidade, até porque depois de uma pandemia tudo foi ruído. O desdenho dos governos anteriores com a pasta de Assistência Social, que foi vista por muitos anos como assistencialismo, aquele negócio de dar cesta básica, de ficar pagando conta de água, pagando conta de luz, “dando esmola”, precisa ser revisto. E chegou o momento disso, o Sistema Único da Assistência Social precisa ser revisto. Tendo que reestruturar, reconstruir os SUAS que nós precisamos conforme a demanda aqui da nossa cidade”, finaliza.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.