Irati inicia projeto de 30 km de ciclovia

Maioria dos bairros de Irati serão contemplados. Iratienses terão mais segurança para utilizar a bicicleta como meio de transporte ou para lazer

A Prefeitura de Irati iniciou o projeto de 30 quilômetros de ciclovia no município. Em um primeiro momento, estão sendo executados cerca de um quilômetro e meio, que vão da Rua Cândido Ferreira, passa pela Av. João Stoklos até o Parque Aquático.

O secretário de Arquitetura, Engenharia e Urbanismo de Irati, engenheiro Adriano Batista, explica que o serviço iniciou na rua Vicente Machado por causa de outra obra que acontece ali, e fala da importância de executar um projeto como este. “O serviço iniciou na rua Vicente Machado, pois recentemente foi feito uma obra de drenagem, em que a vasão foi ampliada. As políticas públicas acontecem para melhorar a qualidade de vida das pessoas, esse plano traz, também, a sustentabilidade, que vem sendo discutida no mundo todo”, disse o secretário.

Irati possui um plano de mobilidade urbana desde 2016, nele há algumas regras, principalmente, a de dar preferência a veículos não motorizados. O projeto de aproximadamente 30 quilômetros de ciclovias dentro da cidade foi divulgado em julho deste ano, e visa dar mais segurança aos ciclistas, e também, aos pedestres.

A maioria dos bairros de Irati serão contemplados com as ciclovias, e se estende até o bairro Nhapindazal que fica em um lado da cidade, assim como, alcança o bairro Engenheiro Gutierrez, Pedreira e Rio Bonito, por exemplo. Passará também pelo parque São João.

Adriano explica que mesmo que este projeto aconteça em longo prazo, irá melhorar a qualidade de vida dos iratiense. “Talvez a obra por completa não será realizada em uma gestão, mas em várias gestões, com intuito de fazer a conexão entre bairros até o centro, para que as pessoas que utilizam a bicicleta possam ter uma opção de usá-la como meio de transporte para se locomover até o trabalho”, ressalta Adriano.

2020 foi um ano atípico por conta da pandemia da Covid-19, muitas pessoas tiveram que fazer o isolamento social, aos poucos foi acontecendo algumas liberações, em que se flexibilizou atividades, a partir disso, as pessoas começaram a retomar os exercícios físicos. “Muitos ficaram ansiosos para voltar à prática de exercícios físicos, e um grande número de cidadãos compraram a bicicleta. As lojas enfatizaram que a venda de bicicletas aumentou nos últimos tempos, vemos muitas pessoas utilizando o meio de transporte para passeio e lazer”, afirma o engenheiro.

Neste sentido, houve uma preocupação do executivo municipal em realizar este plano de mobilidade urbana, para isso, foram realizados estudos para ter o mínimo de intervenção em locais de comércio.

O secretário enfatiza o respeito às leis de trânsito, sendo que haverá lugares certos para veículos motorizados, bicicletas e pedestres. “A principal orientação é de que todos respeitem e cumpram as leis de trânsito, inclusive os motoristas de veículos pesados. Tem que acontecer um equilíbrio entre motoristas, ciclistas e pedestres. O plano de mobilidade urbana dá preferência a veículos não motorizados e o pedestre em si, cada um deve andar no local ideal que foi feito para garantir a segurança de todos. Precisa acontecer uma harmonia e a velocidade deve ser reduzida onde houver necessidade. É uma semente que foi plantada, mas quem ganha é o povo, por isso, é preciso respeito por parte de todos”, informa Batista.

ACIDENTES COM BICICLETA

Em relação a acidentes com bicicletas no trecho que vem sendo construída a ciclovia, o Corpo de Bombeiros de Irati teve um registro de acidente em 2020, na Av. João Stoklos, do tipo colisão entre automóvel e bicicleta, o ciclista foi um homem de 23 anos que teve ferimentos leves.

Em 2019, na Av. João Stoklos, teve dois acidentes em datas diferentes, sendo um do tipo queda de veículo, envolvendo um ciclista do sexo masculino de 12 anos de idade, com ferimentos leves. O segundo foi na Av. João Stoklos esquina com a rua Sebastião Colaço Vaz, do tipo choque contra anteparo, envolveu-se apenas uma ciclista de 33 anos de idade e teve ferimento considerados graves sem risco à vida.

Diante dos dados, Adriano fala da importância da sinalização, de respeitar a ciclovia. “Com a ciclovia pedimos para que os ciclistas pedalem apenas nela, assim como o pedestre ande só na calçada e o motorista tenha o cuidado que deve ter sempre no trânsito, assim teremos mais segurança e menos acidentes”, finaliza.