Irati terá audiência pública para debater Nova Ferroeste

Audiência ocorrerá na sexta-feira (27), às 19h, no Pavilhão de Exposições do Parque Aquático

Amanda Borges com AEN

A Nova Ferroeste, que visa ligar o Porto de Paranaguá até Maracaju, no Mato Grosso do Sul, através de linhas férreas, está passando pelo processo de audiências públicas. Irati foi uma das cidades escolhidas para sediar uma delas. O encontro ocorrerá no dia 27 de maio, nesta sexta-feira, no Pavilhão de Exposições do Parque Aquático, às 19h. A participação popular é importante para tornar o processo lícito e democrático.
Dessa forma, as audiências públicas fazem parte do processo de licenciamento ambiental, realizado pelo Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Por isso, é tão importante durante o processo que todos os lados sejam ouvidos e as demandas gerais atendidas, visando à preocupação operacional como também ecológica.
Com esse mesmo objetivo, três técnicos do órgão federal vêm de Brasília e gerenciam os encontros. Durante a semana, eles realizam a vistoria técnica do traçado proposto nas regiões das audiências, etapa que é feita por terra e pelo ar, a bordo de um helicóptero.

PROJETO
A Nova Ferroeste é um projeto do Governo do Paraná que vai ligar o Porto de Paranaguá a Maracaju, no Mato Grosso do Sul, por trilhos. Eles vão cortar o Oeste do Paraná, celeiro da produção de grãos do País. Há previsão da construção de um ramal entre Cascavel e Foz do Iguaçu, que vai permitir a captação de carga do Paraguai e da Argentina, e de Chapecó a Cascavel, viabilizando o transporte da produção do oeste catarinense.
O projeto vai a leilão na Bolsa de Valores (B3) no segundo semestre de 2022. A empresa ou consórcio vencedor fará a obra e poderá explorar a ferrovia por 99 anos.


ASPECTO AMBIENTAL
O Estudo de Impacto Ambiental, com mais de três mil páginas, apresenta uma análise detalhada das mudanças promovidas pela execução da futura estrada de ferro de aproximadamente 1,3 mil quilômetros. Os especialistas estudaram ao longo de mais de um ano oito pontos de maior interesse ambiental, como preservação e migrações da fauna, flora, ecossistemas integrados de produção e condições de solo, água e do ar.