Lojas Real constrói sede própria em Irati

Empresário afirma que tempos difíceis podem ser usados para se organizar e se preparar para quando as oportunidades chegarem

Natural da cidade de Faxinal dos Guedes SC, Adilon Emidio Da Silva, começou a trabalhar nas Casas Pernambucanas aos 14 anos de idade, passou em um concurso da mesma empresa, aos 19 anos, para trabalhar na auditoria interna, até chegar na cidade de Prudentópolis, seis anos depois. Foi este o início do caminho trilhado pelo empresário dono das Lojas Real, que percebeu o potencial da cidade e resolveu abrir sua primeira loja em 1991.

No início, a loja vendia apenas tecidos em metro, cama, mesa e banho. Adilon conta que trabalhavam ele e mais uma funcionária. “Em 1999, comprei o terreno onde hoje é a sede das Lojas Real, ali já ampliamos os produtos, passamos a comercializar confecções e calçados. Já em 2008, foi realizada uma ampliação do espaço, dobramos o tamanho da loja, hoje, essa loja de Prudentópolis tem três pisos, são 2.700 m2 no total. A partir daí ampliamos mais os produtos, temos brinquedos, utilidades domésticas, confecções para todas as idades e toda a linha de calçados”, conta o empresário.

A primeira filial foi aberta em Imbituva, no ano de 2001, que não foi diferente de Prudentópolis, o empresário conta que também iniciou em espaço alugado e depois foi ampliando com o passar dos anos. “Assim como em Prudentópolis e Imbituva, entramos com uma filial em Irati, em 2003, e compramos o terreno agora, onde estamos construindo para abrigar a loja de confecções e a de calçados no mesmo prédio, que fica na esquina da rua Sete de Setembro e a XV de Novembro. Assim, as três cidades terão o mesmo padrão de loja e a mesma variedade de produtos”, explica Adilon.

Ele contou o motivo de construir uma filial em Irati. “Vendo a evolução de Irati, com mais de 60 mil habitantes, é uma cidade que não atende só a população dela, atende também as cidades vizinhas. Apesar do nosso terreno de não estar na rua Dr. Munhoz da Rocha, que é a rua de maior fluxo de pessoas, ele foi escolhido por estar na entrada da cidade, ter outras lojas próximas e ser um espaço grande, capaz de dar conta de uma sala ampla e com estacionamento próprio”, disse.

A loja terá 2.000 m2 sendo dividida em dois pisos, estacionamento e loja. Será ampliado a variedade de confecções adulto/infantil, cama, mesa e banho, e calçados, além disso, terá o setor de brinquedos e utilidades domésticas.

O empresário explicou porque o foco de venda mudou, de comercialização de tecidos em metro até artigos de decoração. “Na época que abrimos a primeira loja, o que mais vendia era tecido em metro para confecção de roupas, cada família tinha uma costureira. Com o passar do tempo e a chegado dos produtos importados, diminuiu a venda do tecido em metro, e o material pronto passou a custar menos, por isso mudamos o foco de venda. Para completar o setor de cama, mesa e banho tem a parte de decoração, que está presente em nossas lojas hoje”, esclarece Adilon.

Havia uma previsão de inauguração em dezembro deste ano, mas devido à pandemia, as obras paralisaram em março e voltaram em junho. Atualmente, a obra está na parte de fundação, conforme contou o empresário. “Acredito que no final de setembro já é para estar coberto, é uma estrutura de pré-moldados, então, está previsto para inaugurar no final de março início de abril de 2021”.

Adilon falou também do diferencial que as Lojas Real possuem. “Questões de pagamento, qualidade de produtos, são coisas fáceis de copiar, de todos terem igual, por isso nossa equipe trabalha o bom atendimento. As pessoas são a única coisa que não podem estar em dois lugares ao mesmo tempo, visamos a valorização das pessoas que aqui trabalham e os clientes de nossas lojas”.

Ele afirmou que sua experiência enquanto funcionário nas Casas Pernambucanas permitiu que conhecesse todos os setores do comércio, também o fato de conhecer a região de Santa Catarina, que é forte na área de confecções, ajudou a ter fornecedores parceiros da região.

O empresário comentou que em tempos difíceis, como agora na pandemia, é preciso parar e analisar as situações. “As melhores oportunidades surgem nas dificuldades. É momento de se organizar, para que quando as coisas voltarem ao normal, nós estarmos preparados para quando as oportunidades chegarem”, finaliza.