Padrasto agride com facadas bebê de um ano e sete meses em Prudentópolis

A criança foi ferida no pescoço o que causou um corte de 15 centímetros

Na quarta-feira (12), um indivíduo agrediu a esposa e o enteado na Linha Patos Velhos, em Prudentópolis. O enteado de apenas um ano e sete meses corre risco de vida após receber golpes de facadas. Já a mãe da criança apresentou lesões, mas passa bem. O padrasto foi detido pela equipe da polícia.
A Polícia Militar (PM) foi acionada sobre a ocorrência de lesão corporal/violência doméstica e, no local, encontraram os pais do agressor. Esses relataram que o filho, de 23 anos, havia brigado com a convivente e agredido o enteado, o qual já havia sido encaminhado ao hospital por terceiros.
O autor fugiu para um matagal nos fundos da propriedade, no entanto, a equipe da PM conseguiu localizá-lo e então foi dada voz prisão. Segundo os policiais, o criminoso estava bastante exaltado, sendo necessário uso de algemas e condução no camburão da viatura.
A esposa do indivíduo, tem 15 anos de idade e em conversa com a equipe da PM, relatou estar em um relacionamento com o autor do crime há três meses. Na noite do ocorrido, a adolescente estava com o bebê no colo, e o autor começou a agredi-la com chutes e socos, e fez ameaças com uma faca. Neste momento, conseguiu fugir do local, mas deixou a criança e então o autor agrediu o vulnerável com violência. Um dos familiares presentes socorreu o bebê.
Posteriormente, os policiais se deslocaram com a mãe do bebê até o Hospital Sagrado Coração, onde a criança já estava recebendo atendimento. O médico de plantão relatou que o estado das lesões do bebê era de natureza grave. Trata-se de um corte na região do pescoço, com aproximadamente 15 centímetros de comprimento ocasionado por uma arma branca (não localizada). A adolescente, mãe da criança, também apresentava lesões e foi encaminhada para atendimento médico. A equipe do Conselho Tutelar acompanhou os procedimentos. 
O Doutor Oseas Vogler, promotor de Justiça da Comarca de Rebouças, que atua como plantonista na região, atendeu o caso e pediu a prisão preventiva do padrasto.