Plano Decenal Municipal pela Primeira Infância de Irati é apresentado

O plano será aberto para consulta pública, a partir do dia 15 de dezembro

Secom

A Secretaria Municipal de Assistência Social apresentou, na tarde de quinta-feira (02), o Plano Decenal Municipal pela Primeira Infância de Irati. O Plano será executado em parceria com os CRAS, o CREAS, as escolas municipais e estaduais, o Núcleo de Estudos dos Direitos da Infância e da Juventude (NEDDIJ) da Unicentro, unidades de saúde e de acolhimento.
O plano contém nove eixos, voltados às áreas da saúde, educação, família e comunidade, assistência social, acolhimento institucional, família acolhedora e adoção, direito de brincar, cidade e meio ambiente, diversidade e enfrentamento à violência infantil. O plano será aberto para consulta pública, a partir do dia 15 de dezembro. Por este motivo, o número de eixos pode aumentar.
A primeira infância compreende a fase que vai desde a gestação até os seis anos de idade, registrado no Marco Legal da 1ª Infância, criado pela deputada federal Leandre Dal Ponte, sendo este o período de maior possibilidade de formação das competências humanas.
A secretária de Assistência Social, Sybil Dietrich, destacou que este momento é importante para Irati, especialmente para a primeira infância. Ela agradeceu e parabenizou os membros do Comitê de Gestão da Primeira Infância de Irati pelo trabalho realizado em prol do projeto. “Se não fosse pelos membros do Comitê, nós não estaríamos aqui construindo este plano tão importante para o desenvolvimento social e econômico do nosso município. Parabenizo a cada um do Comitê que contribuiu de alguma forma para este plano”, enfatizou Sybil.
“Irati hoje dá um passo importantíssimo na proteção, na atenção às nossas crianças e, em especial, aquelas que estão na primeira infância. É uma fase, comprovadamente, importante para o desenvolvimento humano e das potencialidades. São cruciais o ambiente, as possibilidades e as condições em que as crianças estão inseridas. Hoje, o passo que estamos dando é importantíssimo, poder público e sociedade civil na garantia dos direitos. Isto significa não apenas investimento no capital humano do município, mas também investimento social, no desenvolvimento social e econômico do nosso município”, pontuou.
Denis César Musial, representante do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), avalia que a proposta do plano é positiva, e precisa ser colocada em prática. “Quando pensamos que um plano assim traz vida, ela é movimento, é projeto de vida, é pensar no humano. Acredito que este seja o propósito de todos, e que possamos construir, coletivamente, trazer nossas opiniões, nossas leituras sobre este olhar e juntos construir uma cidade acolhedora e de proteção social à primeira infância”, comentou.
Já a vice-prefeita, Ieda Waydzik, exaltou a importância deste plano para as crianças do município. “Quando eu vejo uma criança, vem dois sentimentos: o primeiro é de ternura pela fragilidade que a criança representa, e o segundo é de respeito por aquilo em que ela pode se transformar no futuro. É nisso que a administração tem pensado, é esta a preocupação do prefeito, da deputada e da Câmara de Vereadores: como nós vamos tratar no futuro, e começando agora, as nossas crianças? Nós queremos construir não um projeto, um plano, mas uma política de tratamento e atendimento às nossas crianças por 10 anos. Precisamos garantir a elas não só o que a Constituição diz, mas sim que esta prioridade seja colocada efetivamente em prática, que em todas as nossas ações, tenhamos em pensamento que a criança é prioridade”, frisou a vice-prefeita.
O prefeito Jorge Derbli espera que o plano seja transformado em ações pelos próximos 10 anos, e que os próximos prefeitos deem continuidade aos trabalhos iniciados. “Eu espero e tenho consciência de que tudo o que está planejado será transformado em ações e que os próximos prefeitos continuem dando o norte e fazendo o que está planejado, porque precisamos cuidar muito das crianças”, enfatizou.
Derbli ressaltou que as mães também receberão atenção. “O trabalho deste plano começa pela mãe, que vai gestar o seu filho, colocar ele no mundo, amamentar, educar, alimentar, e começa sempre pela mãe, da gestação até os seis anos, que é este o projeto decenal que nós temos. Cuidaremos do pré-natal, da saúde, da alimentação, das questões econômicas, do cuidado contra violência dentro de casa, de tudo o que acontece para que a mãe tenha uma boa gestação”, frisou. O prefeito comentou que a criança receberá toda a atenção à saúde, à vacinação, a amamentação, o crescimento e a educação
“As mães e os pais amam seus filhos e querem o melhor para eles. Qual é o pai ou a mãe que não quer a melhor educação, alimentação, convivência entre família, lazer? Isto está determinado neste plano, que será feito com a Secretaria de Assistência Social e equipe dando toda a assistência com os CRAS, CMEIS, escolas e saúde. É cuidar das crianças para que elas tenham a melhor infância possível”, completou Derbli.
A deputada federal Leandre Dal Ponte exaltou o trabalho de toda a equipe do Executivo e da sociedade a favor da política pública para a primeira infância. “Eu tenho certeza absoluta de que o que estamos fazendo hoje será algo a ser seguido por inúmeros gestores da cidade de Irati”, pontuou.
Para a deputada, enquanto a sociedade não olhar a criança como um ser humano frágil e de responsabilidade de todos, nada vai mudar. “Nós vamos continuar repetindo as mesmas coisas e tendo que resolver os mesmos problemas, tratando os efeitos, enquanto temos que tratar as causas. Temos que começar pelas famílias, com quem cuida das crianças. Leandre acredita que é possível criar políticas públicas na primeira infância para reduzir as desigualdades sociais e mudar histórias de vida, independente da condição social da família.
Vital Dudonay, especialista em educação infantil e direitos da criança, assessor da Rede Nacional da Primeira Infância, coordenador do Plano Nacional para a Primeira Infância, enfatizou que o município que possui um plano municipal nos mesmos moldes do nacional e do Marco Legal dará uma outra fisionomia à sua população, especialmente pelas crianças. Para o especialista, a criança deve ser vista como pessoa completa, com nome, rosto, história e projeto de vida. Ele exaltou a intersetorialidade presente no plano iratiense. “Este é um bom começo: um cuidado, um olhar integral para a criança como pessoa, cidadã e um sujeito de direitos. A intersetorialidade vem a articular os setores diferentes para eles trabalharem de forma conjunta”, comentou.
Nova Escola Olaria Filipak
Na oportunidade, a deputada Leandre anunciou a construção de uma nova escola no bairro Nhapindazal. Ela relatou que o convênio para o início desta obra deve ser assinado até o fim do ano. “Este começo é importante, mas a continuidade também. Sempre que conseguimos conquistar algo para a nossa cidade, ficamos felizes, e será uma obra grande, uma escola extremamente bem elaborada que a cidade merece e as nossas crianças merecem ainda mais”, frisou.
A obra da Escola Municipal Olaria Filipak receberá recursos na ordem de R$ 6,5 milhões, por meio de emenda parlamentar da deputada Leandre. “Isto é a ação que eu falei que não pode ficar só no papel, e a escola, com a estrutura que vai ser construída a partir do ano que vem, vai dar condições para melhorarmos a primeira infância das crianças que vão estudar lá”, pontuou.