Prefeitos e representantes estaduais prestam contas do Programa Cartão Comida Boa

Projeto ajudou famílias em situação de vulnerabilidade social e melhorou a economia dos pequenos comerciantes em todo Paraná

Na quinta-feira (20), reuniram-se na Associação dos Municípios do Centro-Sul do Paraná (Amcespar), representantes do governo do estado, alguns prefeitos e a prefeita, para a prestação de contas do programa Cartão Comida Boa, que foi implantado no Paraná no início da pandemia do novo coronavírus e atendeu famílias em situação de vulnerabilidade social.

O programa Cartão Comida Boa é uma ajuda criada, em caráter emergencial, pelo governo Ratinho Junior, em que famílias em vulnerabilidade receberam o cartão no valor de R$ 50,00, disponível para gastar em alimentos nos comércios locais cadastrados no projeto. Ao todo, foram mais de 800 mil cartões distribuídos no Paraná, que garantiram com que o básico chegasse até as famílias e que o comércio local suprisse a economia.

O secretário de Estado da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf), Mauro Rockenbach não pode estar presente e enviou representantes como Lyana Bacil e João Henrique de Souza Verde, assessor de gabinete da Secretaria de Justiça, que apontou os resultados do projeto. “Construímos uma cadeia do produtor com o comerciante e o consumidor, muitos dos alimentos que estavam sendo perdidos voltaram ao comércio, o pequeno comerciante que estava abalado reativou a venda, mesmo não sendo um valor alto acaba ajudando bastante, pelo número de famílias que atingiu”, disse.

O assessor do gabinete do secretário Mauro, Paulinho Paiakan, falou a respeito do atual governo Estadual e da Sejuf que se destacam no olhar para o interior do estado. “O trabalho de interiorização vem sendo feito, aqui em Irati hoje é um deles, nossa vontade é de estar nos 399 municípios, porque entendemos que a nossa Secretaria tem muita importância no contexto social, por isso, tem que estar presente junto com os municípios dando condições aos prefeitos que querem desenvolver projetos. O governo do Ratinho não fecha portas, sempre está abrindo. A ideia é estar onde as pessoas mais precisam”, afirma.

Marisa Massa Lucas, chefe da Regional da Sejuf de Irati, se fez presente na prestação de contas e ressaltou que é um trabalho feito em conjunto com a Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab). “Nossos municípios trabalharam muito bem para atender de uma forma que não houve filas, aglomerações, como cada um já conhece as famílias do seu município atenderam os que mais precisavam. Foi um sucesso, as famílias relataram a compra que fizeram, nada melhor do que ouvir do próprio povo que sabe o que estava faltando na sua mesa, compraram com o R$ 50,00, que no começo falaram que era pouco, mas ajudou no básico, assim como melhorou a situação dos pequenos empreendedores. É um projeto que até gostaríamos que continuasse”, explica Marisa.

A chefe do Núcleo Regional da Seab, Adriana Baumel, também avaliou o programa. “Para a Seab foi muito importante este trabalho com a Sejuf, as duas Secretarias fizeram este apoio à população, a nós coube a gestão dos cartões e a orientação aos estabelecimentos comerciais. Toda esta união permitiu que as pessoas não precisassem se deslocar para fazer suas compras, o comércio local ajudou e recebeu benefícios também”, informa Adriana.

O prefeito de Rio Azul, Rodrigo Solta, trouxe a visão geral que o Cartão Comida Boa proporcionou ao município. “Viemos aqui prestar contas e exercer nosso dever como gestor, para que a Sejuf tenha um retorno do resultado do programa. Vimos que foi efetivo, realmente solucionou problemáticas das famílias mais carentes”, disse Solda.

Júnior Benato, prefeito de Inácio Martins, também apontou a eficiência do programa no município. “É considerado satisfatório, foi aquele ‘a mais’ que o município precisava nesta época de pandemia, para colocar aquele alimento básico que muitas pessoas não tinham condição de comprar, veio para suprir esta necessidade, até porque, a família está completa dentro de casa e consomem um pouco mais, pois os filhos não vão para a escola agora. Em Inácio, foram entregues 2.100 cartões que gerou mais de R$ 100 mil no nosso comércio”, finaliza Benato.