Primeira fábrica de compensados é instalada em Inácio Martins

Inácio Martins implantou mais uma empresa no município, a intenção é gerar mais empregos para a população

Esther Kremer

Inácio Martins implantou mais uma empresa no município, a intenção é gerar mais empregos para a população. A fábrica conta hoje com 22 funcionários registrados, 40% da mão de obra feminina e os outros 60% de mão de obra masculina. A intenção da empresa é que em aproximadamente dois ou três anos, esse número possa chegar até 120 pessoas trabalhando em dois turnos, dia e noite.
O setor público ajudou muito na instalação da fábrica de compensados, tanto com a parte da construção do local, como no auxílio aos cuidados com os funcionários, disponibilizando transporte para que pudessem realizar exames de rotina no Sesi de Irati.
O prefeito de Inácio Martins, Júnior Benato, comenta que é de extrema importância a instalação de novas empresas na cidade, pois isso também gera mais empregos para a população. Com a criação do parque industrial, a expectativa é que ainda mais estabelecimentos possam acrescentar no desenvolvimento municipal.
Segundo o prefeito, muito precisa ser feito para que ocorram essas instalações. “Tem que fazer saneamento básico, tem que ter escolas de qualidade, tem que ter índices de desenvolvimento, pelo menos dentro da média do estado do Paraná. Nós precisamos de uma transformação completa e já estamos fazendo”.


Para Benato, essas medidas básicas que o setor público está tomando servem como atrativos para que novas fábricas possam chegar até o município. O prefeito garantiu toda a ajuda possível.
O gerente da fábrica, Edgar de Jesus Valter Neves, relata que hoje a Potência Compensados e Madeiras está no segundo mês de produção e segue com treinamentos nos maquinários, pois segundo ele, “o pessoal aqui trabalha muito com floresta, agricultura e erva-mate, aí não conhece, não tem prática para trabalhar com lamina e compensado”, disse. A intenção da empresa, agora, é atrair mais funcionários para fazer parte da equipe.
O compensado é um produto manual e artesanal, não existe uma máquina que substitua o trabalhador, o maquinário até o momento, serve como auxilio para acelerar a produção. O gerente explica que quanto mais acelera o processo de criação do produto, mais funcionários vão precisar operar a máquina, isso gera cada vez mais empregos.
O local conta com 2400 metros quadrados e segundo Neves, já existe planos para montar mais um barracão para estoque, e transformar o atual em linha de produção.
Edgar também elogiou o bom trabalho da prefeitura.“O município aqui é carente de empresas, então, está tendo um trabalho bonito em cima disso, com esse parque industrial acredito que isso vai melhor mais ainda”.
O produto final da fábrica, vai servir também como material para construção civil e além de ser exportado, também vai ser comercializado na cidade.

A fábrica de compensados conta com 22 funcionários registrados – Foto: Esther Kremer