Prudentópolis realizou mais de 150 proteções e recuperações de nascentes

Kauana Neitzel

O município de Prudentópolis vem trabalhando na proteção e recuperação de nascentes, em sete anos mais de 150 nascentes já receberam os cuidados necessários pelo projeto nos quatro cantos do município. O trabalho iniciou na gestão Adelmo e Osnei e se estende até os dias atuais.


O projeto faz o tratamento adequado do local, realiza o plantio de árvores nativas ao redor da nascente, para que haja abundância e proteja as cabeceiras da nascente. “São essas pequenas nascentes que abastecem nossos grandes rios, porém é uma quantidade pequena de água que sai dessas nascentes, mas ela não para, são 24 horas saindo, dia a dia. Sem estas pequenas nós não teríamos os grandes rios”, explica o secretário de Agricultura Luiz Felipe Daciuk.


O secretário complementa que Prudentópolis tem o Rio São João, Rio dos Patos, Rio Ivaí, e são as pequenas milhares nascentes que os abastecem e os mantém, pois sem elas não existiriam os grandes rios.


Em 2017, Luiz Felipe atuou como secretário de Meio Ambiente e, hoje, na pasta de Agricultura, segue com o trabalho. “A gestão da muito apoio ao projeto e a Secretaria vem dando continuidade com a minha equipe. Gosto de frisar muito que sozinhos não conseguimos nada e, sim, é um trabalho em equipe com total apoio da administração”, completa.


O requisito necessário para participar do projeto é ir até a Secretaria do Meio Ambiente ou Secretaria da Agricultura e abrir um protocolo. Basta levar um documento pessoal e informa onde é a propriedade, para que a equipe faça uma primeira vistoria dessa nascente e depois executar o trabalho necessário.


Em relação aos trabalhos que a Secretaria de Agricultura vem desenvolvendo, Daciuk diz que a preocupação como secretário é grande. “No nosso município a demanda é muito grande de pequenas nascentes, mas a preocupação da Secretaria é estar trabalhando em prol da nossa natureza, do nosso meio ambiente, do nosso pessoal do agro e cuidando dessas águas que a preocupação, é o futuro. Será que no futuro nossos filhos, nossos netos, terão essas riquezas que são essas nascentes? A gente tenta conscientizar com curso, com palestras, vamos até as escolas, com os agricultores para que não destruam essas nascentes”, finaliza.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.