Região de Irati recebe projeto piloto de atenção ao idoso

projeto abrange nove municípios da região, e 100% dos profissionais que atuam na Atenção Primária à Saúde, Atenção Ambulatorial Especializada e gestão

A região de Irati está sediando um importante projeto piloto focado na Linha do Cuidado ao Idoso. Trata-se do PlanificaSUS, em implantação em todo o Brasil, e que junto à 4ª Regional de Saúde de Irati, seguindo diretrizes do Governo do Paraná, vem direcionando ações voltadas à população com 60 anos ou mais. O projeto abrange nove municípios da região, e 100% dos profissionais que atuam na Atenção Primária à Saúde, Atenção Ambulatorial Especializada e gestão.
O PlanificaSUS tem como objetivo organizar a Atenção Ambulatorial Especializada em rede com a Atenção Primária à Saúde. É uma proposta do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e tem o apoio do Ministério da Saúde, das secretarias estaduais e municipais, com a participação da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, de São Paulo.
O projeto foi enaltecido recentemente pelo secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, em evento de celebração dos 30 anos de regulamentação do SUS, como sendo a sua “essência, envolvendo todas as esferas de governo, entidades e a iniciativa privada. Temos que estar preparados para oferecer aos idosos paranaenses um envelhecimento digno e ativo, e o PlanificaSUS está nos permitindo este projeto-piloto que, posteriormente, pretendemos replicar em todo Paraná”.
Mapeamento efetuado pela 4ª Regional de Saúde aponta que, somados os nove municípios de sua abrangência, a população idosa ultrapassa 18.500 pessoas. Segundo estimativa do IBGE, em 2020, só a cidade sede de Irati teria mais de 7.000 pessoas com 60 anos ou mais, ou seja 11,60% de sua população. A previsão é de que o Paraná vai ter 118 idosos a cada 100 crianças até 2040. 
Processo
Segundo Walter Trevisan, chefe da 4ª Regional de Saúde, “o projeto PlanificaSUS foi disponibilizado para região de Irati por meio de um convite da doutora Maria Goretti David Lopes, diretora de Atenção à Vigilância em Saúde, feito em 2019. O Paraná escolheu a Linha de Atenção ao Idoso, que é a linha de cuidado da Atenção Primária em Saúde, para ser modelo de referência para o PlanificaSUS”.
“Nos reunimos com os técnicos da regional e percebemos a importância que isso traria para a nossa Região de Saúde, e sabíamos da necessidade de trazer este trabalho junto à Atenção Primária em Saúde, fortalecendo-a, bem como também à Atenção Especializada, fazendo esse link entre os setores de Saúde dos municípios com o Consórcio Intermunicipal”, explica Trevisan. 
Walter comenta que Consórcio aceitou o convite e todos os prefeitos e secretários municipais de saúde da assinaram um termo de compromisso junto à Secretaria de Estado da Saúde.
“Teixeira Soares foi selecionado como laboratório central de experimento, onde também ocorreu a abertura do projeto na 4ª Região de Saúde. Mas cada município está participando com o seu laboratório, e isto já está fortalecendo a região, com resultados a curto prazo que já estamos observando, e os que virão a médio e longo prazo”, detalha. 
O chefe da Regional detalha que “foi contratada uma médica especialista geriatra para o atendimento, estão sendo capacitados os profissionais dos municípios e, até antes da pandemia, quinzenalmente vinham à nossa região, técnicos para efetuar o acompanhamento das ações, inclusive do Albert Einsten”. Ele cita que até acabou sendo suspenso um evento de capacitação este ano, na Câmara Municipal, que seria conduzido pelo consultor do Conass e membro do Comitê Assessor em Saúde do Idoso do Ministério da Saúde, o geriatra Edgar Nunes de Moraes, abordando a senescência.
“Somos hoje referência para o Brasil na linha de atenção ao idoso. O PanificaSUS está dando resultados, pelo que levantamos junto a cada secretário municipal de Saúde e equipes da área, pelos benefícios agregados à população. Um compromisso do governador e da Secretaria de Estado da Saúde em fazer com que a população tenha o atendimento mais próximo de sua casa”, complementa.
Avanços na região
Érica Ianóski, tutora da Atenção Primária, elencou alguns avanços constatados na sua área de competência desde o início da implantação do PlanificaSUS.
“Fizemos a solicitação e credenciamento de mais equipes de Estratégia Saúde da Família (ESF) dentro de toda a região. Em Irati foram duas equipes credenciadas neste processo, pois entenderam que a Atenção Primária do município precisava ser expandida. Também foi possível incluir na equipe da ESF a Saúde Bucal, que era uma grande preocupação e um desafio” explica.
“Outro avanço foi a extratificação de risco tanto do idoso como das outras linhas de cuidado que foi intensificada neste período. Ou seja, poder identificar quem são os grupos de risco, como hipertensos, diabéticos, gestantes, crianças, saúde mental e idosos, que são grupos prioritários na Atenção Primária. Mesmo com a mesma idade, o risco de ter alguma complicação é diferente de idoso para idoso. Extratificar este público entre baixo, médio e alto risco ajuda a direcionar o atendimento, de forma a identificar que será encaminhado à Atenção Especializada e quem pode ser manejado dentro da Atenção Primária”, comenta Érica.
Ela destaca que o acompanhamento dos casos e o registro dos mesmos também melhoraram. “Em Irati, por exemplo, na unidade de laboratório, hoje em dia, a maioria dos atendimentos acontece por bloco de horas. Com isso é possível agendar a consulta dentro de uma unidade, sem precisar ir até a mesma às 4h ou 5h da manhã, evitando filas e aglomeração”, exemplifica. Em Irati, a tutora informa, o agendamento é na unidade de Engenheiro Gutierrez, e todos os municípios estão evoluindo para chegar aos 100% de agendamento.
Com o projeto também foi possível expandir a informatização da Atenção Primária, na questão de agilizar o registro do prontuário eletrônico do paciente e ser possível consultar este registro em qual unidade for, através do Sistema Nacional de Prontuário Eletrônico.
Patrícia Sobutka, tutora da Atenção Ambulatorial Especializada, aborda que nesta área o PlanificaSUS, dentro do CIS-Ancespar, se vale de um programa chamado de Modelo de Atenção às Condições Crônicas (MACC). “Dentro deste modelo temos a saúde do idoso. Com a planificação desta linha escolhida pela Secretaria de Estado, o Consórcio precisou se reorganizar com uma equipe de atendimento multiprofissional. Médica geriatra e toda a equipe atendem ao idoso extratificado na Atenção Primária, em cada unidade de laboratório. Esse idoso, dentro da sua classificação, passa uma manhã ou uma tarde com toda a equipe multiprofissional, recebendo um Plano de Cuidado”.
Patrícia detalha que este Plano de Cuidado é compartilhado com a Atenção Primária, onde o usuário tem todos os atendimentos e exames garantidos tanto na Atenção Básica quanto no Consórcio. “Percebemos que houve uma reorganização no processo de trabalho, valorização do trabalho em equipe, comunicação entre os dois níveis de atenção. Este vínculo entre elas é necessário para melhor encaminhamento dos casos dos pacientes”, observa.
Na planificação, há o apoio e consultorias do Hospital Albert Einstein no desenvolvimento do projeto, que está sendo aplicado em todas as regiões do Brasil. “Nas avaliações efetuadas na região de Irati, há bons indicadores de que o trabalho está evoluindo corretamente, apesar  da pandemia que desacelerou um pouco, exigindo providências mais na parte on-line. Estamos dando sequência às consultorias não de forma presencial”, destaca.
Patrícia ainda acrescenta que a equipe espera que no próximo ano, se tudo estiver normalizado, possa ser feita a 2ª fase do projeto, retomada a parte presencial. “Mas conseguimos constatar o quanto nossa região evoluiu neste período de um ano e três meses, tanto na comunicação entre os dois níveis de atenção, como no matriciamento, nas extratificações e, principalmente, nos atendimentos”.