Sesa permite velórios em alguns casos de óbitos por Covid-19

Santa Casa de Irati adotou a nova resolução do estado recentemente

A realização de velórios de pacientes que faleceram em decorrência da Covid-19 em Irati e região, chamou a atenção da população devido ao fato de não poder haver o funeral desde o ano passado por causa da situação da pandemia ainda existente.
Desde abril deste ano, a realização de velórios é permitida pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), através da Nota Técnica 19/2020. Para isso, o serviço de saúde deverá emitir ao serviço funerário uma declaração, assinada pelo médico assistente, com a informação de que o falecido se encontra fora do período de transmissibilidade da doença.


O chefe da 4ª Regional de Saúde, Walter Trevisan, explica que é necessário seguir alguns critérios para que possa haver o velório do paciente que faleceu em decorrência da Covid, e o período é de ,no mínimo, 20 dias desde o início dos sintomas. “Esta nota técnica passou por algumas modificações e a última foi em março deste ano, começou a vigorar em abril, são para aqueles pacientes que tiveram os primeiros sintomas, mas ao desenvolver a doença por mais de 20 dias, em torno de 25 a 30 dias, e vieram a óbito”, comenta.
Após o período da doença, deixou de ter infecção, assim, o funeral e o sepultamento devem seguir as orientações da Nota Técnica, que pode acontecer nas condições habituais, com o caixão aberto, mas precisa seguir os protocólos de prevenção ao vírus.


Outra questão que a família deve ficar atenta é em relação aos decretos municipais, pois alguns permitem ou não a realização do funeral. Também, os documentos podem trazer horários específicos para a execução do velório.
Trevisan também explica que pode haver casos em que o médico não libere devido a outros fatores, como a situação da pandemia ou se for uma autoridade, para não haver aglomerações, mas cada caso será estudado. “A gente deixa claro que, devido à pandemia estar em um pico alto, ou se tratando de uma pessoa conhecida na comunidade, o velório pode ser evitado para que não se tenha aglomeração, um grande número de pessoas expostas ao risco de contágio”.
O chefe da regional ainda destaca que mesmo com a liberação do médico para o velório do paciente, os familiares e amigos devem evitar beijar, cumprimentar e não deve ter comida no local.É preciso manter o protocolo de prevenção contra à Covid-19, como uso da máscara, álcool gel, e manter o distanciamento social dentro do local. Ele também pede que a população não realize em casa o funeral, e que procure um ambiente arejado para que as pessoas possam manter os cuidados.

RESOLUÇÃO
Até março de 2021, todos os pacientes que morreram por complicações da doença não puderam ter velório, apenas o sepultamento com a presença dos familiares. Com a nova normativa, é possível realizar o funeral com declaração do serviço de saúde.
Uma parte da nota técnica explica a situação: “Os indivíduos que evoluíram a óbito em Serviços de Saúde, mas que durante o internamento haviam sido retirados do isolamento, inclusive com suspensão das medidas de precaução, são considerados não infectantes, conforme: Nota Técnica GVIMS/GGTES/Anvisa n° 07/2020; Guia de Vigilância Epidemiológica em Emergências de Saúde Pública de Importância Nacional pela Doença pelo Coronavírus/2019 (e suas atualizações) e recomendações da equipe médica assistente. O serviço de saúde deverá emitir ao serviço funerário uma declaração, assinada pelo médico assistente, com a informação de que o falecido se encontrava fora do período de transmissibilidade da doença”.

SANTA CASA DE IRATI
A Santa Casa de Irati ainda não utilizava a normativa, e foi recentemente que passou a adotar e liberar os velórios. Em nota, a instituição informa que: “Após a atualização da Nota Orientativa 19/20, acerca do manejo de óbitos suspeitos ou confirmados pela Covid-19, da Secretaria de Saúde do Estado do Paraná, a Santa Casa de Irati vai seguir as orientações para a emissão de declarações de óbito, bem como para a realização de funerais e sepultamentos.
Pessoas que evoluírem a óbito por Covid-19, mas que já estiverem fora do período de transmissibilidade, ou seja, após 20 dias do resultado positivo do exame RT-PCR, são considerados não infectantes, a equipe assistente irá avaliar se o paciente atende a estes critérios, e exclusivamente, nestes casos poderá ser liberado para o velório, sem necessidade de alocar o corpo em embalagem impermeável. Nestes casos o médico emitirá uma declaração de óbito por “Covid-19 fora do período de transmissibilidade” para a família.
Mesmo assim, a Santa Casa de Irati orienta para que devido ao risco de contaminação do Coronavírus, o acesso ao velório seja para aos familiares mais próximos, no limite de até 10 pessoas; que o uso de máscaras seja obrigatório por todos os presentes no funeral; as portas e janelas devem ser mantidas abertas para circulação do ar; contatos físicos como apertos de mão, beijos e abraços devem ser evitados e sempre que possível o distanciamento físico de 1,5 metro deve ser mantido no local.
Lembrando que pessoas com suspeita ou confirmação de contaminação por COVID-19 devem permanecer em isolamento, sem participar de funerais.
Desta forma, as famílias poderão velar seus entes queridos, porém, mantendo todos os cuidados de prevenção à Covid-19”.