Unidades do SAMU são inauguradas nos municípios de Teixeira Soares e Rio Azul

Ambulâncias começaram a operar na segunda-feira (10) e, além dos dois municípios, as bases estão atendendo a população de Fernandes Pinheiro, Mallet e Rebouças

Amanda Borges

O primeiro mês de 2022 foi marcado pelo início do atendimento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência em vários municípios da região.Na segunda-feira (10), inaugurou em Teixeira Soares e Rio Azul novas unidades do SAMU que, além dos dois municípios, deverão prestar assistência à outras cidades vizinhas. Sendo assim, o posto de Teixeira atenderá à Fernandes Pinheiro, assim como, o de Rio Azul assistirá Mallet e Rebouças.
O Secretário de Infraestrutura e Logística do Governo do Estado, Sandro Alex, frisou que as inaugurações são conquistas importantes. “A nossa região ganhou muito com atendimento do SAMU. Isso era um sonho de muitos anos, acredito que a Folha há muitos anos registra essa vontade de ter o atendimento. E a gente ver hoje a população aqui prestigiando, é praticamente a primeira semana do ano, começar com esse investimento é realmente gratificante”.

“A saúde nos emociona, quando a gente vê uma equipe como essa que 24h por dia, ao longo de 365 dias no ano, estão à disposição da população para salvar vidas” – Secretário Sandro Alex

Além do Secretário, o Prefeito do município de Teixeira Soares, Lula Thomaz, celebrou a implementação do SAMU. “Um sonho que foi idealizado há muito tempo. Muitas pessoas passaram por esse processo e Graças a Deus nós demos continuidade, em parceria com o Governo do Estado. E hoje realizamos esse sonho”, conta Lula. “Agradeço muito a parceria com os demais prefeitos, especialmente à nossa cidade irmã, Fernandes Pinheiro, com a prefeita Cleonice”. Além da prefeita, Lula frisa a importância do Secretário de Saúde do município, Amauri Klossowski, para a conquisO Prefeito de Rio Azul, Leandro Jasinski, conta o que serviço do SAMU tem custo elevado para os cofres municipais. Contudo, de acordo ele, o investimento “compensa cada centavo! Não é barato, o investimento é alto, mas é feito um consórcio, envolvendo as duas regionais de saúde: a 3ª, de Ponta Grossa, e a 4ª Regional, de Irati”. Segundo Leandro, a prefeitura deverá prover, mensalmente, R$30mil para manter o funcionamento da base. Apesar do valor alto, “uma vida não tem preço”, afirma.
A Scheila Mainardes, Diretora do Consórcio Intermunicipal SAMU Campos Gerais, explica que, com as duas unidades, já são 30 postos implantados. “Nós temos o intuito de chegar à 33 unidades dentro do primeiro semestre de 2022”, conta Scheila. De acordo com a diretora, em caso de emergência, a população deverá acionar o socorro, sem custo nenhum, discando o 192. Esse telefonema será encaminhado, inicialmente, para a Central de Regulação Médica de Urgência, localizada em Ponta Grossa. Lá, a situação será analisada e os profissionais da central definirão qual será o melhor caminho a ser tomado, de acordo com as especificidades de cada circunstância.

“O que a gente quer é poder levar até as pessoas o atendimento em tempo mais oportuno possível” – Walter Trevisan

O Secretário de Saúde de Teixeira Soares, Amauri Klossowski, conta que o a implementação da unidade foi possível graças ao esforço de uma equipe de profissionais. Amauri também explica que a base de Teixeira está instalada em uma estrutura de mais de 100m², que comporta garagem, dois quartos, sala, cozinha, lavanderia e banheiro. “Uma estrutura confortável para toda a equipe”, compartilha.
Moacir Alfredo Szinvelski, o Prefeito de Mallet, cidade que receberá assistência da unidade de Rio Azul, comemora: “O SAMU vem para salvar vidas, para nos ajudar com rapidez, eficiência e trabalho. Isso proporciona uma tranquilidade para as famílias, principalmente de Mallet, e da região”. E completa, “nós vamos ter mais segurança para trabalhar”.
De acordo com o Diretor da 4ª Regional de Saúde, Walter Trevisan, as unidades novas desempenham a função de dar apoio no atendimento da base de Irati, mais completa e equipada, que conta com a Unidade de Terapia Intensiva (UTI). “O que a gente quer é poder levar até as pessoas o atendimento em tempo mais oportuno possível”, esclarece.
Trevizan também explica que a implantação das unidades de urgência e emergência refletem em outras esferas do atendimento em saúde. Com a otimização no tempo de socorro, as demandas dos demais serviços de saúde, como os hospitais, diminuem. Em uma situação de emergência, quando um paciente é assistido mais rapidamente, ele dificilmente precisará de serviços mais custosos, como o internamento em um UTI, por exemplo.
“Para a nossa região isso é um ganho muito significativo, não só pela qualidade de vida e segurança das pessoas que isso representa, mas,principalmente, para consolidar as estruturas de saúde da nossa região”, completa Walter.