Vigilância Epidemiológica de Irati pede colaboração da população em relação à Covid-19

Agostinho Basso adiantou que provavelmente esta semana não será emitido um novo decreto de ampliação de restrição, o que poderá ocorrer na próxima semana, após avaliação da evolução do quadro nos próximos dias. Veja a matéria atualizada

No dia de hoje (03) as enfermeiras da Vigilância Epidemiológica Jéssica Cristina Mattos e Denise Homiak Fernandes, que estão à frente da Comissão de Monitoramento dos casos de Covid-19 em Irati, e a Secretária Municipal de Saúde, Jussara Aparecida Kubinski Hassen, gravaram um novo comunicado em vídeo à população.

No vídeo, relatam a expressiva alta nos casos confirmados de Covid-19 em Irati no último final de semana, e reforçam o apelo todos para que colaborem com as medidas de segurança e deem apoio ao trabalho das autoridades de Saúde, acatando as recomendações que permanecem sendo necessárias. Ainda, no comunicado, é abordado o possível retorno a medidas restritivas mais rígidas, como forma de conter a proliferação da Covid-19 no Município.

Na data de 03 de novembro, segundo as enfermeiras, até 11h da manhã já eram 31 casos confirmados no período de 24 horas. No período de sete dias, foram 66 novos casos, um contraste muito grande aos 17 casos da semana imediatamente anterior. Com isso, a média móvel de Irati subiu de 2,4 para 9,4, o que significa o aumento considerável de 400% nesta média móvel.
De acordo com as profissionais, a equipe de monitoramento de Irati tem tido muita dificuldade em manter o controle das pessoas em isolamento. Ao entrar em contato por telefone, muitas vezes as pessoas não atendem às ligações ou demoram a responder as mensagens no WhatsApp, que é o outro recurso utilizado pela equipe.

Denise e Jéssica reforçam o alerta de que ainda não há tratamento específico para a Covid-19, e até o momento não existe uma vacina, as medidas de controle para esta pandemia ficam restritas ao isolamento social de sintomáticos respiratórios e de seus contatos. Elas relatam que, inclusive, muitas pessoas deste grupo, não aceitam estas medidas, encarando como algo impositivo e não uma orientação. “Quando se pede a estes sintomáticos o isolamento social, e os 14 dias em casa, é para evitar a transmissão do vírus para as outras pessoas, inclusive para outros familiares”, comenta Jéssica. “É comum estas medidas não serem respeitadas. Isto pode se estender também às empresas. Quando há funcionários com Covid, a Vigilância Epidemiológica determina que os contatos próximos façam o isolamento de 14 dias e, muitas vezes, algumas empresas não entendem o motivo e a importância de se cumprir este período, e acabam burlando”, acrescentando que “é aí que se encontra este cenário epidemiológico atual”.

Deise complementa que “quando há êxito nos contatos e em repassar as orientações às pessoas para permanecerem no isolamento de 14 dias, algumas delas chegam a fazer ameaças à equipe. Há membros do monitoramento que chegaram a ter que registrar Boletim de Ocorrência porque sofreram ameaça de morte nos últimos dias”. As enfermeiras enfatizam o pedido de bom senso da população em seguir as orientações que estão sendo repassadas, como única forma de conter esta epidemia.
“E tendo em vista todo este cenário, a equipe de Vigilância Epidemiológica de Irati vai propor novamente medidas restritivas ao COEF, solicitando caráter emergencial para a implantação das mesmas, visando retornar ao perfil controlado de antes”, finaliza Jéssica.

“Estamos desde março nesta luta contra o Coronavírus, com uma equipe de mais de 20 profissionais, muitos em sistema 24 horas, monitorando, fazendo testes, trabalhando no PA, na Unidade Joaquim Zarpellon e em várias outras frentes, e precisamos que a população compreenda que a Covid-19 não acabou”, esclarece a Secretária de Saúde de Irati, Jussara Aparecida Kubinski Hassen. Segundo ela, as pessoas devem entender que a flexibilização de certas medidas não significa que o problema esteja contornado, mas pelo contrário, precisa ser encarado como algo ainda presente no dia-a-dia, em que se exige a manutenção de todas as medidas de segurança sanitária já conhecidas de todos.

O coordenador do Centro de Operações Especiais e de Fiscalização da Covid-19 da Prefeitura de Irati (COEF), enfermeiro Agostinho Basso, adiantou que provavelmente esta semana não será emitido um novo decreto de ampliação de restrição, o que poderá ocorrer na próxima semana, após avaliação da evolução do quadro nos próximos dias.

Assista ao vídeo cedido pelo SECOM: