Voluntárias realizam trabalho artesanal e de panificação na Capela São Francisco de Assis

Clube de Mães existe há quase 17 anos fazendo os serviços para a comunidade

Toda terça-feira, um grupo de voluntárias da Capela São Francisco de Assis, em Irati, prepara produtos de panificação e faz trabalhos artesanais. O Clube de Mães acorda cedo para preparar os produtos de venda, que começa no período da tarde.

O principal alimento vendido é o pão, a massa começa a ser preparada a partir das 7h, onde, atualmente, é feita em máquinas, conduzida pelas mulheres. Depois de pronta ela é distribuída em formas. Hoje, a capela disponibiliza mais de 100 formas separadas para a confecção do pão.

Os serviços são feitos na cozinha da capela, onde seis mulheres realizam os trabalhos. Além do pão, outros alimentos são produzidos, como pastel, cuque, cueca virada, dependendo da aptidão da voluntária que comparece no dia.

O pão na capela custa R$ 8, e o valor é arrecadado não vira lucro, e sim, geração do próprio pão. A cada um que é vendido, outro é doado, muitas vezes, para as próprias voluntárias, e, semanalmente, para a Comunidade Bethânia. Também vai para a Cidade da Criança e para famílias indicadas pela capela.

Thomaz Chiquetto quase toda terça-feira vai até a capela comprar o pão. “É muito bom, tudo é feito artesanalmente, produto caseiro, bem diferente da panificadora, porque já fazem em larga escala, e aqui não. A gente vê que é feito bem artesanal”, disse o membro da comunidade.

Mari Szwaidak é a organizadora do Clube, que já existe há 17 anos, para ela é gratificante o trabalho. “Eu costumo falar que quem ganha com tudo isso sempre sou eu, porque é muito bom a gente se doar para o próximo, é maravilhoso, ainda mais o pão que é um alimento diário. É fantástico. Eu não tenho palavras para explicar o quanto é bom, e convido, quem puder fazer trabalho voluntário faça, em qualquer lugar, que é um bem muito bom”, observa.

ARTESANATO

Além dos produtos de panificação, as voluntárias também confeccionam produtos artesanais. São de 15 a 20 mulheres que realizam esses trabalhos, reutilizando peças e organizando bazares. Também fazem a elaboração e crochê em panos de pratos, pinturas, bordados e tapetes, entre outros produtos.  A venda dos artesanatos vai para manutenção do espaço.

Uma das responsáveis pela customização de peças é Gisele Boese, ela conta que é muito bom participar do grupo de mães, e que quem quiser pode ajudar doando peças, ou se quiser aprender também pode ir até elas. “Estamos precisando de bastante voluntários, porque além do voluntariado, a gente pode ter amizade, não tem depressão, os problemas ficam mais fáceis e o bom é a gente estar junto construir para quem precisa mais que nós”, finaliza.

FEIRA

No dia 09 de março, a capela realiza a feira “Fiz vendi, de tudo e com tudo”, nela terá venda dos produtos de panificação, entre outros, como chocolate e sucos. Também terá exposição dos materiais artesanais e bazar.