Ladislau Grechinski – Compromisso constante com o município de Irati

Ladislau criou a primeira Sociedade Cooperativa de Consumo dos Agricultores em Irati

Profª Luiza N. Fillus

Nasceu na Polônia, em 06 de março de 1874, na região de Mazowsze, província de Plock. Era filho de Jakób Gryczynski e de Josepha Dranskiewicz.
Chegou com sua família ao Brasil em 1888. Vieram em 16 pessoas e foram residir em Água Branca. Posteriormente, transferiram-se para a localidade de São Mateus.
Ladislau Grechinski se casou com Leonora Jakubowski, em 28 de dezembro de 1894, na capela da Vila de São Mateus, sendo o celebrante padre Jakób Wrobel.
Ambos eram muito jovens: Ladislau com 21 anos e Leonora com 17 anos. Leonora Jakubowski também era imigrante polonesa, natural de Debsk, Distrito de Mlava, província de Warszava (Varsóvia).
Tiveram 12 filhos: Feliksia Josepha, João, Pedro, Suzana, as gêmeas Leonora e Angélica, Aldona, Thomás, Thadeu, Ladislau, Lúcia e Mieceslau.
Ladislau permaneceu na propriedade de Canoas, por 10 anos, em São Mateus
Segundo Monika Gryczynska, em seu livro O Casarão da Serra, descreve um diálogo de Ladislau com seu pai Jakób:
“Soube, pai, pelas notícias que correm na vila, que lá pelas bandas do município de Imbituva, no caminho de trilhos da Estrada de Ferro, vai ser inaugurada uma estação de nome Irati. As terras daquela região são férteis, há abundância de pinheiros e campos cobertos de erva-mate. Acho que vou dar uma olhada lá. Se as notícias forem verídicas, compro uma área de terra e mudo-me para lá”, p. 138.
Portanto, Ladislau veio para Irati em 1908, onde adquiriu uma casa, nas margens do Rio das Antas.
Em 1914, transferiu-se para a localidade da Fazenda Floresta, onde comprou 12 alqueires de terra para cultura, local que mais tarde foi denominado de Alto da Serra dos Nogueiras.


Algumas iniciativas e alguns predicados de Ladislau Grechinski:

Com a ajuda de moradores e com recursos da própria comunidade do Alto Serra dos Nogueiras construiu a Escola Polonesa “Henry Sienkewicz”, num galpão anexo à Cooperativa dos Agricultores do Alto da Serra dos Nogueiras Ltda.
Zuleika Fillus Onesko possui o livro Nasze Czytnki, de Jan Zebrok, editado em 1929, que sua mãe recebeu, quando frequentou como aluna essa escola:
“Senhora Genoveva Sobotka, aluna do 2º ano da Seção Escolar Alto da Serra, receba o prêmio pelo seu bom desempenho da professora Eugênia, Alto da Serra, em 08 de dezembro de 1936”.
Além da agricultura, Ladislau se dedicava à pecuária, à avicultura e à fruticultura. Construiu um moinho de trigo e uma fábrica de farinha de milho. Ambos foram atingidos pelo fogo, contudo, seu proprietário fez a reconstrução, somente ficando com a fábrica de farinha de mandioca e farinha de trigo.
Nas eleições gerais de 1916, foi eleito como Prefeito Municipal de Irati, o cidadão João Braga dos Santos Ribas e para a Câmara Municipal, Ladislau Grechinski, como um dos quatro camaristas.
Criou a primeira Sociedade Cooperativa de Consumo dos Agricultores do Alto da Serra dos Nogueiras, segundo o livro de atas registra, que foi instalada em 17 de julho de 1918, cujo primeiro presidente foi o senhor Ladislau Grechinski.
Participava ativamente da vida comunitária de Irati. Em 1920, recepcionou o primeiro Cônsul Polonês de Curitiba, senhor Kazimierz Gluchowski, que também é autor do livro “Os poloneses no Brasil: subsídios para o problema da colonização polonesa no Brasil”.

Segundo Monika Gryczynska , o senhor Ladislau sempre dizia:

“A música é vida interior. Quem tem música e livros, jamais padecerá de solidão” p. 141
Comprovando a citação acima, Ladislau possuía em sua casa, sobre uma cômoda, um clarinete em metal dourado, ocarina feita de argila dura, um violino e um violoncelo, instrumentos que trouxera da Polônia, e que os dominava excelentemente bem. Fez parte da Banda Musical, quando residiu em São Mateus do Sul.
Na Polônia, Ladislau frequentou o curso ginasial. Falava fluentemente o polonês, o russo e o alemão. Aqui no Brasil, tinha ótimo domínio da língua portuguesa. Em seu livro O Grande Objetivo, a autora Olga GrechinskiI Zeni, assim se manifesta em relação ao seu avô Ladislau:
“De moral elevadíssima, espiritualista por excelência , pertenceu ao “Círculo Esotérico da Comunhão do Pensamento” e a “Associação Rosacruz”, foi exemplo de honestidade, perseverança e devotamento ao trabalho. p. 100
Também participou ativamente das melhorias do primeiro caminho que conduzia à Serra dos Nogueiras, pois as carroças transitavam em fila única, de modo extremamente precário.

“A música é vida interior. Quem tem música e livros, jamais padecerá de solidão” frase que o senhor Ladislau sempre dizia


Por meio da Lei 375 de 05 de outubro de 1971, o prefeito Edgard Andrade Gomes, decretou:

“Artigo 1º – Fica denominada “Rua Ladislau Grechinski”, o prolongamento da Rua XV de Novembro – trecho compreendido entre a ponte sobre o Rio das Antas até o cruzamento com a Rodovia BR 277, nesta cidade.
Artigo 2º – Revogam-se as disposições em contrário, entrando em vigor na data de sua publicação. Em 05 de outubro de 1971”.
A entrega do asfalto da Rua Ladislau Grechinski aconteceu em 31 de março de 1973, na gestão do Prefeito Municipal Lourival Luiz Fornazari, tendo como Presidente da Câmara Municipal dos Vereadores, o senhor Pedro Fillus.
Representou a família, a senhora escritora e poetisa Olga Grechinski Zeni, cujo pronunciamento se encontra em seu livro o Grande Objetivo, sob número 44, que se constitui uma memória fidedigna de tão significativa homenagem e merecimento.
Nossa homenagem ao senhor Ladislau Grechinski, que tanto contribuiu para a engrandecimento do município, e deixou seus descendentes, que continuam suas atividades em nossa terra, com muita responsabilidade e competência.
Ladislau Grechinski faleceu em Irati na data de 20 de fevereiro de 1934.

Visita do Cônsul da República da Polônia à Colônia Polonesa de Irati, aos 18 de agosto de 1929. Em primeiro plano à esquerda, de bengala e botas, o cidadão Ladislau Grechinski
Foto: Acervo familiar