Benzedeiras compartilham conhecimentos em roda de conversa no Museu Paranaense

Os encontros com as benzedeiras integram o Programa Público do Mupa “Se Enfiasse os Pés na Terra”, que prossegue até maio

AEN

As benzedeiras do Movimento Aprendizes da Sabedoria (Masa) irão compartilhar seus saberes tradicionais associados às plantas medicinais que integram a sociobiodiversidade da Floresta de Araucárias e território caiçara em dois momentos de diálogo e troca de experiências neste final de semana no Museu Paranaense (Mupa): oficina e roda de conversa.

O Movimento será representado por Dona Agda e Dona Evinha, residentes nos municípios de Rebouças e Irati, no Centro-Sul, e o casal curadores naturais do litoral paranaense Aparecida Camargo e Gilson Anastácio.

Os encontros com as benzedeiras integram o Programa Público do Mupa “Se Enfiasse os Pés na Terra”, que prossegue até maio. O programa traz uma série de ações artísticas, educativas e culturais nas quais o público é convidado a aproximar-se das múltiplas formas de vínculos entre seres humanos e seres vegetais. 

Neste sábado (05), a partir das 15 horas, será a oficina “Plantas e modos de benzimento”. Na oficina, as benzedeiras irão manusear e demonstrar o uso de plantas medicinais na prática do benzimento que inclui a preparação de chás, banhos, pomadas, xaropes, tinturas, emplastros e garrafadas por meio de folhas, flores, sementes, cascas e raízes que fazem parte de suas práticas tradicionais de cura. Serão disponibilizadas 25 vagas e as inscrições precisam ser feitas com antecedência. Inscrições por este LINK.

No domingo (06), será realizada a roda de conversa “Trajetória e práticas de benzedeiras e curadores naturais do Paraná”. Este encontro será um momento para diálogos sobre as trajetórias e formas de relação com as plantas, norteados pelas ações de cultivo, cuidado, manejo, coleta, uso e preparo de plantas enquanto remédios e que caracterizam a identidade coletiva das benzedeiras Dona Agda e Dona Evinha.

Já o casal de curadores naturais do litoral paranaense, Aparecida Camargo e Gilson Anastácio, compartilha suas experiências de manutenção da saúde e cuidado com as plantas e a natureza. Eles falarão também sobre o feitio do “Margoso”, garrafada preparada tradicionalmente na Sexta-Feira Santa, e sobre o Gervão. A mediação será feita pelos pesquisadores Taísa Lewitzki e Zé Muniz.

A roda de conversa ocorrerá no jardim do Mupa e não é necessário inscrever-se previamente. A liberação dos lugares será a partir de 14h45, por ordem de chegada, até completar a capacidade do local.

Acesse a programação completa do Programa Público neste SITE.

DONA AGDA – Benzedeira, remediera e agricultora do município de Rebouças, é especialista no manuseio de plantas medicinais, ofício que aprendeu com o seu pai e ampliou ao longo da sua trajetória por meio do intercâmbio de conhecimentos tradicionais com outras benzedeiras.

DONA EVINHA – Dona Evinha é benzedeira e agricultora agroecologista, reside na comunidade rural de Pirapó no município de Irati. Conhecedora das plantas que são remédio e alimento, defende a proteção das plantas contra a contaminação de agrotóxicos.

GILSON CRESPO ANASTÁCIO E APARECIDA CAMARGO – Gilson é natural de Abatiá, no Paraná, mora em Guaraqueçaba desde 1979. Dedicando-se a manter modos de vida simples, inserindo-se na vida comunitária e aprendendo os modos e as formas de cuidados com a saúde de forma natural. As pessoas na comunidade confiam e procuram o “Barbudo” para resolver alguns dos muitos problemas de saúde. Seja porque no posto não tem o tratamento, ou porque confiam nos tratamentos a partir da natureza.  

Aparecida é nascida e criada no Norte do Estado, e reside atualmente em Guaraqueçaba. Envolvida com a natureza e formas de cuidados com a saúde desde criança, aprendeu com a mãe, a avó e outras pessoas ligadas à família a tratar as doenças com plantas. É agente comunitária de saúde, e na função atua contando com a ajuda dos conhecimentos de Gilson sobre plantas e tratamentos naturais para as dores do corpo e da alma.

Programa Público “Se eu enfiasse meus pés na Terra” – BENZEDEIRAS

05 FEV – 15h às 18h – Oficina

Plantas e modos de benzimento

06 FEV – 10h – Roda de Conversa

Trajetória e práticas de benzedeiras e curadores naturais do Paraná

Local: Museu Paranaense – Rua Kellers, 285, bairro São Francisco – Curitiba

Entrada gratuita

Fonte: https://www.aen.pr.gov.br/Noticia/Benzedeiras-compartilham-conhecimentos-em-roda-de-conversa-no-Museu-Paranaense