Bolsa de Sementes coleta 428 quilos de sementes nativas em 2020

A pandemia da Covid-19 não impediu que as sementes para o Programa Bolsa de Sementes fossem coletadas. As escolas parceiras

A pandemia da Covid-19 não impediu que as sementes para o Programa Bolsa de Sementes fossem coletadas. As escolas parceiras do Projeto Verde é Vida, mantido pela Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), mesmo com o ensino remoto, incentivaram alunos, pais e professores para, adotando todas as medidas de segurança e preservação à saúde, coletarem as sementes. O resultado –  428,652 quilos de sementes nativas coletadas em 2020 -, foram divulgados hoje, 23 de abril, durante uma live transmitida pelo canal oficial do youtube da Afubra youtube.com/afubra66

O número é comemorado pela equipe do Projeto Verde é Vida. “Nos alegramos em divulgar este número, pois mostra que as escolas – alunos, professores, diretores, funcionários, pais e comunidades – estão alinhados com a Afubra na preservação do meio ambiente”, enfatiza Adalberto Huve, coordenador geral do Projeto Verde é Vida. As sementes coletadas são enviadas para a Universidade Federal de Santa Maria (Ufsm), onde são armazenadas para posterior distribuição.

A coleta realizada pelas escolas parceiras, além dos resultados ambientais de sensibilização e preservação, traz, também, retornos financeiros. “Nós temos uma tabela com as espécies de sementes que integram a Bolsa e, o valor correspondente a cada uma delas. Esse controle é realizado pela equipe da Universidade que, ao fim de cada ano, nos fornece as informações. O esforço e a dedicação, rendem um cheque-bônus que pode ser trocado por mercadorias em uma das lojas da Agro-Comercial Afubra.”, explica Huve.

Para o diretor-presidente da Agro-Comercial Afubra e secretário da Afubra, Romeu Schneider, o mais importante é o aprendizado que os jovens têm com a Bolsa de Sementes, que será levado para a vida toda. “Os números nos mostram o êxito da parceria, que trazem resultados positivos do trabalho para o futuro. Nestes 18 anos, são 27 toneladas de sementes de árvores nativas com qualidade gemética”, enfatiza Schneider ao agradecer a parceria dos envolvidos na Bolsa de Sementes.

 

Em 2020, as escolas que mais se destacaram foram:

Emef Felipe Becker, de Santa Cruz do Sul/RS, 144,703 quilos de sementes, cheque-bônus no valor de R$ 4.588,00;

Emef Ervino Konrad, de Arroio do Tigre/RS, 65,366 quilos de sementes, cheque-bônus no valor de R$ 3.445,00;

Emef Ribeirão Matilde, de Atalanta/SC, 52,606 quilos de sementes, cheque-bônus no valor de R$ 1.812,00;

Emef Vila Gropp, de Atalanta/SC, 54,514 quilos de sementes, cheque-bônus no valor de R$ 1.502,00.

 

A premiação financeira às escolas começa a ser entregue a partir desta semana. “Com o Rio Grande do Sul em bandeira preta devido ao agravamento da pandemia, resolvemos esperar para entregar os cheques. A partir de hoje, com todos os cuidados, nossa equipe irá entregar a bonificação. Representantes das escolas também podem falar com nossos coordenadores regionais do Projeto Verde é Vida e retirar os cheques nas nossas filiais”, destaca Adalberto.

 

MUDANÇAS – A metodologia de controle do Bolsa de Sementes sofreu alteração em 2020. Antes, as sementes eram contabilizadas dentro de um Ano Ambiental (junho a junho). “A partir do ano passado, iniciamos a contabilização das sementes dentro do ano-calendário, ou seja, janeiro a dezembro. E, mesmo com a nova sistemática e a pandemia, alcançamos os 428 quilos de sementes, pois, em 2020, contabilizamos apenas as sementes coletadas de abril a dezembro”, comemora Huve.