Comunidade Bethânia concretiza projeto sustentável de energia solar

Com esta autossustentabilidade, os acolhidos terão mais qualidade de vida, pois será economizado mensalmente mais de R$ 1 mil

O projeto de energia solar na Comunidade Bethânia vai promover a autossustentabilidade, a busca por este projeto se dá a mais de dois anos, juntamente com algumas parcerias. A comunidade se mantém com contribuições de pessoas e empresas, esta aquisição faz parte da colaboração de muitos.

Um dos parceiros que ajudou na realização deste projeto é o Chá das Amigas, em que foram realizados alguns eventos para a concretização deste sonho. Outros empresários colaboram continuamente com a comunidade e se dispuseram a ajudar com parte do financiamento.

A empresa DigySat de energia fotovoltaica doou toda a instalação da energia solar. “A empresa tem uma política de ajudar o próximo, e por se tratar de uma instituição que não tem fins lucrativos, nos comprometemos em doar a instalação da energia solar”, explicou o coordenador, Erik Silva.

Conforme relatou o coordenador, a instalação não está totalmente concluída, faltam alguns detalhes para que o sistema comece a funcionar. No que se refere à fiação e aos painéis já está completo, dentro de poucos dias estará conclusa. A comunidade vai custear apenas o valor dos equipamentos. Com esta instalação haverá uma economia, em 25 anos, em mais de R$ 1 milhão.

“A comunidade paga atualmente cerca de R$ 1.400,00 por mês de energia elétrica. Com a energia solar pagará apenas a taxa de transmissão, que custa em torno de R$ 50,00 por mês”, explicou José Washington Ferreira, administrador da Comunidade.

Esta aquisição é um bem significativo para a comunidade, pois com a economia deste dinheiro, será possível dar maior qualidade de vida aos acolhidos.

COMUNIDADE BETHÂNIA

A Comunidade Bethânia foi fundada pelo padre Léo, no dia 12 de outubro de 1995, em São João Batista – SC, lá funciona a sede, a parte assistencial e educacional.

Na comunidade de São João Batista há uma escola que atende crianças desde os sete meses de idade até o quinto ano do ensino fundamental, trata-se de uma parceria com o município, que entra com professores e a Comunidade Bethânia com a estrutura.

É dada a prioridade aos filhos das famílias que trabalham na comunidade, e também às crianças mais carentes daquela região.

Hoje, a Comunidade Bethânia conta com oito casas, sendo uma em São João Batista – SC (sede); uma em Lorena – SP; uma em Itaperuna – RJ; uma em Uberlândia- MG e quatro casas no Paraná, em Curitiba, Irati, Guarapuava e Cianorte.

“A Comunidade Bethânia está em Irati acolhendo filhos desde 2012, a capacidade de acolhimento é de 20 pessoas. Algumas casas são mistas, acolhem homens e mulheres. A proposta de acolhimento são 11 meses, em que as pessoas não pagam nada, vivemos da providência. Em Irati, hoje, temos 14 filhos, temos vagas ainda, mas devido ao coronavírus no momento não estamos acolhendo”, informou José.

A rotina da comunidade acontece da seguinte maneira, todas as quintas-feiras é realizado o pré-acolhimento, em que as pessoas conhecem a comunidade é são apresentadas à forma de viver e a história daquele local, em seguida, estas pessoas entram em uma fila de espera, e posteriormente são acolhidas.