Não Informado – 1887

A soma de esforços, capacitações e trabalho desenvolvido com os alunos fizeram com que Irati subisse de 6.3 para 6.7

A soma de esforços, capacitações e trabalho desenvolvido com os alunos fizeram com que Irati subisse de 6.3 para 6.7 no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). O Ministério da Educação (MEC) divulgou o resultado na semana passada, o qual engloba as séries iniciais, que vai até o 5º ano – o qual realiza a ‘Provinha Brasil’.

Com este resultado, Irati supera as metas e faz parte do seleto grupo de 20% dos municípios brasileiros que estão acima da média, sendo que a maioria não alcançou a nota 5.0.

A secretária municipal de Educação, Rita Almeida, explica trabalham direcionados ao IDEB desde o ano passado. Já na primeira reunião com coordenadores e diretores falamos sobre nossa intenção de cada escola aumentar pelo menos um décimo no resultado anterior. Fizemos muitos cursos, mas foram vários fatores que contribuíram para esse resultado maravilhoso, ressalta.

O IDEB, criado em 2007 com o objetivo de avaliar a qualidade do aprendizado nas escolas do país, estabelece metas para melhorar o ensino nas escolas. As provas que renderam a nota de 6.7 para Irati foram realizadas em todas as escolas municipais. Os focos principais são nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática.

Rita destaca que com competência, responsabilidade, um conjunto de pessoas comprometidas, que começa com professores, coordenadores e diretores, além da Secretaria de Educação, é possível melhorar a qualidade da educação. Focamos no 5º ano, que faz a Provinha Brasil. Realizamos a Provinha Irati em três etapas – no começo do ano para ver em que nível a criança ingressou naquele ano. Outra na metade e mais uma no final, conta.

A ‘Provinha Irati’ é aplicada para todas as séries e ajuda a avaliar a escola. Não trabalhamos com pressão, medo ou ameaça e sim com responsabilidade. Para nós esse resultado é uma alegria maravilhosa e destaco a nota espetacular que a Escola Municipal Irmã Helena Olek conquistou, obtendo a média 8.1, uma das mais altas do Estado, acrescenta.

A coordenadora, Maielle Machado de Lima, fala que continuam com o trabalho de capacitação e auxilio para as escolas da cidade e do campo, neste ano já trabalhando de forma mais incisiva também com os alunos do 4º ano. Agradeço muito aos professores do 5º ano que abraçaram a causa e fizeram muito, diz.