Grupo Folclórico Polonês Mazury de Mallet: 26 anos aproximando a Polônia do Brasil

Fundado em 1993, o grupo trabalha com o objetivo de preservar e difundir as tradições polonesas e os elementos característicos que enriquecem a cultura

No início dos anos 1990, iniciava a trajetória de um grupo de dança de sucesso do município que difundiria a cidade e a cultura polonesa, pelo Brasil e mundo, trata-se do Grupo Folclórico Polonês Mazury, que em 2019, completa 26 anos de existência.

A instituição, que já rodou o mundo, durante todos esses anos conquistou premiações em São Paulo, Mercosul, além é claro de ter conquistado por três vezes o título de representante da cultura Brasileira na Polônia em 2008, 2017 e 2019.

A atual presidente, Reguina Kovalczyk Drewnowski, conta um pouco do que é o Mazury. ”O grupo polonês Mazury é uma associação cultural sem fins lucrativos, tem por missão preservar a Cultura Polonesa por meio da dança, música, cantos, trajes eidioma, com a prática de atividades sadias”, fala Reguina.

A presidente ainda completa que uma das propostas para o futuro é incentivar o ensino e aprendizagem da língua polonesa. Por ser uma associação sem fins lucrativos, o grupo, possui algumas dificuldades financeiras, atualmente, há trêscategorias, infantil, juvenil, adulto, as atividades do grupo são desenvolvidas gratuitamente.

CONQUISTAS MARCANTES

Apesar de possuir várias premiações durante toda sua história, há conquistas que marcam a instituição. Diretor cultural, do Mazury, desde 2007, Lucas Tomaz Antunes dos Santos explanou sobre as conquistas especiais. “Para a instituição, acredito que o recebimento da medalha “Oskar Kolberg” em junho do ano passado, na Polônia foi um deles, o prêmio foi entregue ao grupo Mazury pelo Ministro da Cultura da Polônia e é considerado a principal distinção cultural por lá. O prêmio é sinônimo de prestigio internacional e da mais credibilidade aos trabalhos desenvolvidos pelo grupo Mazury. Com isso, o GrupoMazury se tornou a quarta instituição cultural da América Latina a receber esse prêmio desde que foi criado em 1974”, diz Lucas.

O professor, ainda ressalta, que para os integrantes do grupo, houve outro momento. “A participação das edições do Festival Mundial de Folclore Polonês realizado na cidade de Rzeszów na Polônia a cada três anos é, sem dúvidas, a maior conquista. O festival é o maior do gênero no mundo e reúne grupos de vários países, neste ano estivemos pela terceira vez”, fala.

DEDICAÇÃO

A preparaçãoexige dedicação, organização, disciplina e leva alguns anos. Ser selecionado para participar do festival e ter a oportunidade de estar lá, é sinônimo de recompensa por todo o esforço e horas de dedicação. “Como diretor artístico do grupo, além de tudo, é uma satisfação grande ver os resultados do festival, o pessoal do grupo apresentando o que foi ensinado, as coreografias e os arranjos musicais que foram criados para o grupo, sendo apresentados no Brasil e no exterior. Preparamos o grupo para que ele tenha sua própria identidade e condições de se apresentar com autenticidade aqui e na Polônia. Então, a sensação é de dever cumprido”, comenta Lucas, que participa do grupo desde os nove anos de idade.

CONEXÃO MALLET E POLÔNIA

O município que tem forte ligação com a cultura polonesa desde sua criação, tem no Grupo Mazury uma ponte que mantêm viva a cultura no Brasil. “Recebemos visitas ilustres de grupos folclóricos da Polônia, importantes autoridades polonesas também estiveram conosco em Mallet e levamos o nome do nosso município e do estado para a Polônia. São oportunidades criadas pelo Grupo Mazury com a cooperação da comunidade local. Acredito que todos nós estamos orgulhosos de poder participar e ter em Mallet uma das principais e mais ativas instituições culturais polonesas no Brasil,” completa Lucas.

HISTÓRIA

Fundado em 1993, o grupo recebeu o nome “Mazury” em homenagem aos imigrantes poloneses que vieram para o Brasil e são da região da Masúria (em polonês Mazury), uma área na região nordeste da Polônia, famosa por seus lagos e florestas.

O Grupo Mazury já realizou apresentações nacionais e internacionais, é reconhecido pelo seu trabalho e tornou-se um dos principais representantes da cultura polonesa no Brasil.

Realizou apresentações em diversas cidades brasileiras, nas regiões sul e sudeste, e também esteve presente em outros países como Argentina e Paraguai (na América do Sul) e Áustria, República Tcheca, Polônia e Eslováquia (na Europa).

O grupo tem um acervo com cerca de 410 trajes, que juntos reúnem mais de dois mil acessórios de 19 regiões diferentes da Polônia, além de contar com coreografias e arranjos musicais desenvolvidos especialmente para o grupo.