Afubra inicia o pagamento de indenizações de granizo no dia 23 de fevereiro

Até o momento, a Afubra já contabiliza R$ 115.922.051,00 em indenizações a pagar aos associados.
(Foto: Arquivo/Afubra)

Na terça-feira, dia 23 de fevereiro, a Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) dará início ao pagamento das indenizações das lavouras de tabaco, safra 2020/2021, atingidas pelo granizo. Conforme o tesoureiro da entidade, Marcílio Laurindo Drescher, a primeira liberação dos valores indenizatórios do Seguro Mútuo contempla os associados que liquidaram suas ordens de pagamento (OP) até o dia 09 de fevereiro. O montante da primeira parcela é de R$ 42 milhões e 500 mil reais, ou seja, mais de 40% do valor estimado de pagamento até o momento. “O dinheiro é repassado de forma integral e obedece rigorosamente a forma optada pelo produtor no momento da inscrição da lavoura”, diz.  Drescher ressalta que, passada a data da primeira liberação, os demais pagamentos passam a ser semanais. O encerramento acontece quando o processo atinge todos os fumicultores com direito à indenização.

“Esse valor é referente apenas aos auxílios para as lavouras atingidas pelo granizo, pois os valores referentes à queima de estufas e auxílio funeral sempre são quitados na sequência à solicitação, no caso do auxílio funeral, e da avaliação, no caso da queima da estufa”, explica o tesoureiro. Ele ainda destaca que a safra passada encerrou com R$ 80.779.213,19, no total de auxílio pago por incidência de granizo em lavouras de tabaco. “Por isso, a Afubra mantém o fundo de reserva. Para que possamos garantir que todos os associados recebam a sua indenização”.

 

GRANIZO - No último fechamento de dados, ocorrido no dia 06/02, o Departamento de Mutualidade da Afubra contabilizou 23.740 lavouras atingidas por granizo, desde o início da atual safra de tabaco. Na safra passada, no mesmo período, foram 20.197 atingidos. Os números da safra 2020/2021 ainda não são definitivos, visto que há regiões produtoras que ainda não concluíram a colheita. “Ainda temos tabaco para ser colhido em municípios da região Sul do Rio Grande do Sul e no norte catarinense. E, o clima, nos últimos dias, tem sido rigoroso com a precipitação de granizo, pois, somente esta semana, tivemos mais de 500 lavouras atingidas”, finaliza Drescher.


Veja Também