Após 20 anos, mulheres voltam à Câmara de Vereadores de Irati

Três mulheres tiveram uma votação expressiva nestas eleições em Irati, uma foi eleita e duas são suplentes
Tere da Anapci, eleita vereadora de Irati (Foto: Divulgação )

As eleições municipais acabaram e os novos representantes do povo foram escolhidos democraticamente. Em Irati, após 20 anos, uma mulher irá assumir uma das 10 cadeiras da Câmara de Vereadores. Teresinha Veres (PSC) foi a segunda mais votada do município. Já Vera Gabardo (PV) e a Professora Silvana (MDB) são suplentes.

A nossa reportagem conversou com as três mulheres mais votadas, que atuarão na política de Irati e atenderão as necessidades da população para conhecer suas visões, como irão ajudar o município, e sobre a importância da figura feminina na política.

TERESINHA VERES

Teresinha Miranda Veres, ou Tere da Anapci, foi a segunda candidata mais votada em Irati, teve 967 votos. É iratiense, é casada com João Carlos Veres, e tem dois filhos, João Gabriel e João Vitor, cursa Serviço Social, é formada no magistério e é empresária há 30 anos em uma loja de Irati.

Começou na vida política em 2012, em que foi candidata a vereadora. Apesar da grande votação, não conseguiu a vaga devido ao partido não ter coligação. Depois disso, iniciou o trabalho voluntário na Anapci, em que é presidente e está no segundo mandato. Por causa do envolvimento com a instituição, com as necessidades dos pacientes, se distanciou da política. Dentro da Anapci teve várias conquistas, uma delas foi a vinda da Unidade Avançada do Erasto Gaertner para Irati.

Neste ano, recebeu o convite para participar das eleições, no começo resistiu, mas aceitou e lançou sua candidatura. Ela foi eleita e, desta vez, irá assumir o cargo, será a única representante mulher na Câmara de Irati. Ela destaca a importância de ter uma mulher e o que fará para representá-las. “Eu queria mais mulheres junto comigo na Câmara. Acredito que eu tenho que representá-las muito bem, fazer a nossa função. Nós, mulheres, temos mais sensibilidades para lidar com todas as situações. Acredito que, com o apoio, a gente deve contar com as mulheres para fazer um mandato propositivo, para que eu possa contribuir. Eu tenho esse compromisso e responsabilidade de levar isso com muita seriedade e me dedicar, porque eu acredito que a função do vereador é fiscalizar, fazer projetos. Quero fazer com muito empenho, muita dedicação, para que eu possa realizar um trabalho bom na Câmara”, disse.

Teresinha também comenta sobre a volta das mulheres à Câmara de Vereadores. “Nós temos que voltar a tomar o nosso lugar, eu as vejo com muito potencial, com muito a contribuir. E aquelas que não se elegeram que continuem, persistam. Eu vou estar lá sempre à disposição para que a gente consiga colocar projeto, que a gente receba ideias. Eu as quero junto”, disse.

Teresinha pretende trabalhar, principalmente, nas áreas da educação, assistência social e no esporte, pois conhece muito bem as necessidades. “Temos projetos para todas essas áreas, e em todas temos a presença da mulher, elas necessitando de apoio, e a gente não vai deixar de olhar também”.

VERA GABARDO

Vera Gabardo teve 649 votos e é a primeira suplente do Partido Verde (PV). Ela é inspetora do internato no Colégio Florestal há dez anos. Trabalha à noite e tem o dia para se dedicar à comunidade. Vera nasceu em Irati, na Vila São João, e viveu os seus 55 anos lá, tem dois filhos e três netos, um que está chegando e outros dois adotivos.

Ela tem um trabalho intenso na comunidade, é líder da Pastoral da Criança, coordenadora da Vila São João, voluntária na Unidade Avançada do Hospital Erasto Gaertner, faz parte do grupo gestor do Céu das Artes e é membro do Conselho Escolar da Escola Rosalina Cordeiro de Araújo.

Vera sempre foi ativa na política. Já foi candidata a vereadora, porém não foi eleita, mas sempre esteve envolvida nas campanhas, e ajudou muitos candidatos a se elegerem no município. É formada em Turismo e fez o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) em defesa do Campo do Sanhaço, que foi de encontro com a ideia de implantação do Parque da Vila São João.

Para ela, este é um momento de igualdade, e as mulheres precisam ter o seu espaço em todas as áreas. “Eu acho que estamos em uma época que devemos ter igualdade. A mulher tem que estar inserida de todas as formas. A mulher limpa uma casa, cuida dos filhos, administra uma residência, então por que ela não trabalhar também na vida pública? A mulher é capaz de tanta coisa, está na hora dela ter sua vez também na política”, comenta.

A primeira suplente ainda completa sobre o papel da mulher na política e da representatividade que terão. “A mulher, além de ter mais sensibilidade, não desmerecendo homem nenhum, porque eles têm um imenso valor, é mais cautelosa, pensa mais, é mais calma. Com isso, que acho que vai fazer um conjunto. Não vamos pensar e fazer uma Câmara só de mulheres, mas, sim, os dois lados da moeda. Fazer um conjunto para trabalharmos juntos, homens e mulheres por um bem comum”, disse Vera.

2.139

Quantidade de votos que as três tiveram juntas.

Vera também atua muito na área social, pelo meio ambiente e a desigualdade de classes. Já realiza seis projetos sociais na Vila São João e quer levar para toda a cidade. O “Doações” em que a pessoa faz a doação de qualquer coisa ou objeto, e sabe de onde vai cada doação, tem tudo cadastrado. Também tem o “Latinha”, em que são arrecadadas latinhas e vendidas para comprar legumes para a sopa, que é outro projeto, que é feito toda última quarta-feira de cada mês e distribuída às famílias que mais precisam. Há o “Construa e Reconstrua” em que os voluntários constroem quartos para pessoas com deficiência, algum cômodo ou reformam. E o “Divida seus dons”, que as mulheres fazem algum trabalho em casa e podem dividir com os outros e conseguir uma renda. “Esses são projetos que eu realizo e quero implantar para todos os bairros”.

PROFESSORA SILVANA

Silvana é de Irati, morava na Serra dos Nogueiras, depois que casou mudou-se para o bairro Colina Nossa Senhora, é professora há 29 anos, e há 12 está na direção da escola Antonina Fillus Panka, na Vila Nova, também já trabalhou em outras escolas do município. Iniciou a carreira escolar na merenda e limpando o local na área rural do município.

Ela sempre foi envolvida com sindicatos, fez parte do Conselho e acompanhou o que a educação precisava. Fez, junto do Conselho, a reestruturação do plano de carreira, em relação à carga horária trabalhada, também fez estudos analisando por escola e CMEI apontando o que precisava melhorar.

A professora já foi candidata a vereadora duas vezes, e nesta teve uma votação expressiva. Sempre esteve envolvida na política e sempre gostou de lutas, como professora, conseguiu melhorias, e está envolvida em sindicatos por gostar desse lado, por isso, resolveu candidatar-se novamente. ‘”Eu gosto de correr atrás das coisas, e do bem do próximo. Penso como eu queria que estivesse o plano para mim? Caso esteja bom para mim, vai estar bom para o outro. Sempre me coloco no lugar do outro, e penso que na política também devemos ser assim. As pessoas votam em você porque te escolhem, para você o representar na Câmara, desta vez, eu fiquei muito feliz, pois tive o número muito bom de votos”, disse.

Ela também destaca o papel da mulher na Câmara de Vereadores em Irati. “Toda mulher tem um lado materno, na questão de cuidar, tem mais paciência, tem mais sensibilidade, ela se coloca mais no lugar do outro, então ela consegue pensar mais no bem comum. Acredito que a mulher é bem importante na política, por isso, tem um olhar diferente do que os homens, e fora as lutas que temos, as mulheres conseguem ajudar-se, tendo uma representante, ela serão a voz das outras”.

Os projetos para Irati Silvana já tem voltado para a Educação, saúde e Assistência Social e pretende trabalhar junto com os conselhos para conhecer cada comunidade de Irati, também junto das associações dos bairros e do interior para que elas se fortaleçam, pois como atua em uma delas, na Vila Nova, sabe o que precisa ser feito para melhorar o bairro, e acredita que junto das associações e vereadores podem fortalecer o trabalho e muitas melhorias podem ser feitas.

REGIÃO TAMBÉM TEM REPRESENTATIVIDADE FEMININA

A região também terá muitas mulheres atuando na Câmara de Vereadores, além das de Irati, a vice-prefeita Ieda Waydzik, e a prefeita Cleonice Schuck, mais sete municípios elegeram mulheres para o cargo no legislativo. São elas:

Inês pereira (PROS) 182 votos, em Teixeira Soares;

Professora Kelly (PSD) 334 votos, em Mallet;

Cida Schilliga (PV) 245 votos, em Mallet;

Rita Boni (PSD) 521 votos, em Rio Azul;

Jussara Martins (PSD) 488 votos, em Rio Azul;

Marcia Freitas (PROS) 663 votos, em Rebouças;

Betinha (PSD) 596 votos, em Rebouças;

Duda Goebel (PP) 233 votos, em Imbituva;

Nilda Scorsim (PSL) 151 votos, em Guamiranga;

Wanderleia (PSL) 135 votos, em Fernandes Pinheiro.

Nas próximas edições traremos a história de todas as mulheres da região na série “Mulheres na Política”.


Veja Também