Após matar Manfron, vereador Kiko Lobacz está foragido da justiça

Crime aconteceu no sábado o e comoveu a comunidade pela violência
Vereador Kiko Lobacz está foragido da justiça, ele é acusado de matar Everaldo Manfron no último sábado (25) (Foto: Reprodução)

O vereador Luisir Lobacz (MDB), de Ivaí, mais conhecido por Kiko, está foragido da polícia. Segundo o delegado Luís Gustavo Timossi, que preside o caso, ele é acusado de matar o empresário Everaldo Manfron na cidade de Ivaí, no último sábado (25).

O crime aconteceu dentro do supermercado Manfron, onde Everaldo era proprietário. O vereador esperou o mercado abrir, foi até o escritório onde Everaldo estava e desferiu vários golpes de faca. Manfron ainda conseguiu cambalear para fora do escritório onde foi socorrido. Ele foi transferido de helicóptero para o hospital Universitário em Ponta Grossa onde passou por cirurgia. No final da tarde, a esposa anunciou a morte do empresário.

Segundo o delegado Timossi, um vídeo das câmeras de segurança mostra o exato momento e a violência dos golpes proferidos contra o empresário. “Ele tentou se defender, mas levou várias facadas dificultando sua recuperação”. Timossi conta que a Polícia entrou no caso assim que avisada, e começou a coletar os depoimentos que complementaram as informações do vídeo cedido. Segundo ele, é uma prova contundente do crime.

Segundo os depoimentos, Kiko passou a noite em um estabelecimento próximo à casa de Manfron, bebendo e fazendo arruaças. Próximo as 6h de sábado (25), houve um desentendimento entre o empresário o e vereador devido as algazarras, possivelmente, conta o delegado. Neste momento, Kiko teria prometido que iria matá-lo. Uma hora e meia depois ele adentrou no escritório com uma faca e cumpriu o prometido.

Timossi conta que os advogados de Lobacz procuraram a Delegacia no intuito de fazer um acordo para que ele se apresentasse. Mas como não houve uma evolução, o delegado entrou na Justiça pedindo a prisão preventiva do vereador que passou a ser um foragido da Polícia. Timossi ainda argumenta que uma dívida que Kiko teria com Manfron poderia ter sido outro motivo do homicídio.

Na tarde da quarta (29), a Polícia Civil realizou diligências em Ivaí e outras localidades no intuito de prender o suspeito pelo crime. O delegado solicita a população que se avistarem o foragido liguem para o 190 ou para a Delegacia de Imbituva, que atua em Ivaí, para realizar a denúncia. O delegado ainda explica que o caso trouxe muita comoção a cidade de Ivaí, tanto pela brutalidade do crime, quanto pela importância do empresário para comunidade. “Como o vereador não se apresentou como informado pela defesa, nós iniciamos as buscas no intuito de prendê-lo. Na quarta-feira (29), cumprimos mandados e continuaremos a fazê-lo até a sua prisão. Estamos intensificando as buscas para cumprir o papel que cabe a polícia e dar uma resposta a sociedade” disse o delegado.

Na quarta-feira (29), um dos advogados do vereador protocolou na Câmara um pedido de afastamento do legislativo por 60 dias para tratar assuntos particulares. Segundo a Câmara de Vereadores de Ivaí, isso é um instrumento possível para o vereador. O vereador já possui anotações na justiça, tanto com Boletins de Ocorrência por ameaça, quanto por um crime onde foi inocentado. A informação nos meios que o acusado se apresentará nesta sexta-feira (31), mas até o fechamento da edição não houve informações mais apuradas desta possibilidade.

COMOÇÃO

Desde as primeiras horas do ocorrido, foi grande a comoção na cidade e nos arredores. Centenas de pessoas passaram pelo velório para se despedir do empresário. Na noite da quarta-feira (29), um manifesto foi realizado no sentido de pedir justiça e punição para o culpado.

Vários moradores portando cartazes, faixas e balões brancos passaram pelas ruas da cidade, saindo em frente da Igreja Ucraniana indo até um portal próximo ao mercado Manfron.


Veja Também