Cenário de desemprego é preocupante, mas vagas da Yazaki minimizam a situação

Cerca de 50 pessoas por dia procuram por trabalho em Irati. Município está apostando em reformular políticas públicas e maior empresa da cidade aumenta oportunidades
Agência do Trabalhador de Irati tem uma média de atendimento diário de 25 a 30 pessoas para o seguro desemprego (Foto: Fernanda Hraber )

Todos os dias, acompanhamos pela TV, rádio ou internet que todo o país está sofrendo com a falta de vagas de emprego. Muitos fatores contribuem para que este índice ainda esteja tão alto, pois cerca de 12 milhões de pessoas no Brasil estão à procura de um trabalho.

Em Irati, a Agência do Trabalhador recebe, diariamente, moradores de toda a região buscando por uma oportunidade no emprego formal. Na intermediação de mão de obra, que é a busca pelas vagas na Agência, a média de atendimento é de 40 a 50 pessoas diariamente. “Para Carteira de Trabalho, temos cerca de 20 atendimentos entre emissão, entrega e todos os processos envolvidos. Mas na questão do seguro desemprego, são entre 25 e 30 seguros por dia”, expõe o gerente da Agência, Marcelo de Ávila Francos.

Esta situação é avaliada por Francos com grande preocupação. “Se nós entendermos que a Agência de Irati atende uma região de, aproximadamente, 180 mil habitantes, compreendemos que o número de atendimentos diários de seguro é bastante elevado”. Segundo ele, toda a situação é um reflexo do momento que o país está vivendo com a recessão e a dúvida do que vai acontecer.

Hoje, a grande busca de vagas na Agência do Trabalhador é para a área de linha de produção e de comércio. O setor de alimentação, que envolve oportunidades em lanchonetes e mercados, também é bem procurado.

O QUE O MUNICÍPIO ESTÁ FAZENDO

A realização e concretização de políticas públicas na área de emprego são solicitadas pela população todos os dias. Mas, o que Irati está fazendo para minimizar o problema? O secretário de Desenvolvimento Econômico, Emiliano Gomes, relata que há vários programas em andamento que possuem o objetivo de não só trazer mais empregos, mas sim, fazer de Irati um ambiente consistente e permanente de oportunidades.

“Um dos programas, por exemplo, é o DesEnvolve Irati, que tem por objetivo fomentar cada segmento, como já está acontecendo. Queremos que cada um se fortaleça, conversando entre si e trazendo o que há de novo para desenvolvermos políticas públicas e, ao mesmo tempo, promovermos interatividade e cooperação”, descreve Gomes.

Um das alternativas mais crescentes no país é microempreendedorismo, em que muitas pessoas, após passarem pela situação de desemprego, buscam novas formas de trabalho, legalizando seu pequeno negócio. “Hoje, cerca de cinco a sete microempreendedores individuais (MEIs) têm nova abertura por dia em nossa cidade. Muitas pessoas estão se aventurando no empreendedorismo e temos, por obrigação, dar sustância e suporte para isso”. Para dar incentivo aos MEIs, o município promove cursos e workshops feitos por meio da Sala do Empreendedor.

NOVO PROJETO E CONEXÃO EXTERNA

Em breve, Irati deve lançar um projeto chamado ‘Compra Irati’, que é voltado ao setor de compras. “É uma iniciativa bem inovadora, visto que a prefeitura é a maior compradora do município. Vamos estabelecer isso como um portal para fazer um trabalho de conexão entre a administração e seus fornecedores para que participem mais das compras públicas”, conta Emiliano.

Sobre o relacionamento externo e a busca por novos contatos, segundo o secretário, o município está em conexão externa em Curitiba com a Paraná Desenvolvimento.  “Vamos estabelecer o Programa Municipal de Atração de Investimentos (Pmai) e teremos novidades pela frente em relação a empresários estrangeiros que querem vir conhecer nossa cidade”. Além disso, Irati também busca fortalecer parcerias com associações comerciais de todo o Paraná.

ANTES DE TUDO: SOLIDEZ

Mas para que tudo dê certo e os avanços sejam, de fato, positivos, o trabalho do município, segundo Emiliano, é o desenvolvimento de um ambiente verdadeiro para o negócio em Irati “com uma sinergia positiva onde as pessoas cooperem e acreditem”. Ele fala que, para este novo planejamento, instituições de ensino e o empresariado iratiense, por exemplo, estão se colocando à disposição para que o crescimento aconteça junto com o apoio e a articulação do município.

YAZAKI NA CONTRAMÃO: MAIS DE 200 VAGAS NESTE ANO

Uma das empresas que está remando contra esta maré de desemprego, em relação a várias corporações – que demitem funcionários todos os dias, é a que mais gera vagas em Irati, a Yazaki. A fábrica está fazendo contratações para as áreas de produção nas atividades de montagem dos seus produtos. “Já contratamos 150 funcionários e devemos contratar mais 50 neste ano, e mais de 300 em 2020. Para estas vagas, os candidatos deverão fazer cadastro na Agência do Trabalhador, onde os processos de seleção serão realizados”, destaca o gerente de operações, Mariano Lima.

O programa da Yazaki também inclui vagas para Jovens Aprendizes (idade de 16 a 24 anos) e portadores com deficiência física (dispensados de ter o ensino médio completo). A empresa também recebe seus ex-funcionários como candidatos às vagas.

A supervisora geral de Recursos Humanos, Karla Pedroso, cita o que a Yazaki oferece aos seus colaboradores: “oportunidade do primeiro emprego; treinamento para desenvolver candidatos sem experiência em nosso Centro de Capacitação; programas que envolvem afetividade (família, comemoração de datas, voluntariado e trabalhos sociais); segurança, plano de saúde, refeições de excelente qualidade no local de trabalho; oportunidades reais de crescimento na carreira, e ambiente de obsessão pelo respeito às leis trabalhistas e muito respeito aos nossos colaboradores”.

O gerente conclui que “trazer novos negócios só foi possível graças à postura madura do Sindicato local que agiu juntamente com a Yazaki, possibilitando aumentar a nossa competitividade e, assim, poder pegar o novo Projeto XBB da Renault”, finaliza.


Veja Também