Ciclista percorre mais de mil quilômetros de Rio Azul a Aparecida

 Uma nova experiência chegou na vida do ciclista Heinz Denzer, morador de Rio Azul há 25 anos. No dia 10 de janeiro saiu rumo o pagamento de sua promessa, percorrer mais de mil quilômetros de bicicleta e chegar a Aparecida, em São Paulo, pelo Caminho da Fé.
[" Denzer saiu de Rio Azul no dia 10 de janeiro e pretende chegar a Aparecida no dia 25 deste m\u00eas"] (Foto: Foto: Reprodução Facebook)

 Uma nova experiência chegou na vida do ciclista Heinz Denzer, morador de Rio Azul há 25 anos. No dia 10 de janeiro saiu rumo o pagamento de sua promessa, percorrer mais de mil quilômetros de bicicleta e chegar a Aparecida, em São Paulo, pelo Caminho da Fé.

Denzer conta que sempre gostou de pedalar e uma promessa quando conheceu o Caminho da Fé, o inspirou a ir até Aparecida de bicicleta. Anos antes, ele se preparou para a longa viagem, consultou o site comosobrevivernabr.com e também fez outras viagens como ciclista, e isso o preparou para a jornada que enfrenta. O ciclista relata que os dias são corridos, começa perto das 7 horas a pedalada e percorre 80 quilômetros por dia, faz o seu próprio café e segue a viagem.

Também tem comida para emergências, que prepara em qualquer lugar, ele observa que gosta de fazer isso pela estrada, em um local com belas paisagens que desfruta enquanto toma seu café. Em média, Denzer enfrenta 36 graus de temperatura na estrada. Com o calor ele conta que sempre para em postos de combustíveis para tomar água, que consome em torno de seis litros. Também conversa com as pessoas que estão no local para pedir informações sobre a estrada e fazer a viagem tranquilamente, além de conseguir novos amigos.

 Ele descansa de hora em hora e também não faz o caminho à noite. É perigoso, no fim da tarde arrumo um lugar para armar minha barraca, tenho um colchão inflável, cobertor e um kit de primeiros socorros. As roupas lavo no posto, penduro na bicicleta para secar e durmo cedo, conta.

O morador de Rio Azul sofreu um acidente no início da viagem. Um cachorro passou na frente da bicicleta e fez Denzer perder o controle e cair. Devido à queda, ele fraturou o joelho e por isso está indo mais devagar do que imaginava. Estou com o joelho doendo por causa do acidente, estou indo mais lento, está mais complicado, mas tenho fé que vou terminar a viagem, comenta.

Para ele, toda a experiência é difícil de expressar em sentimentos. É fantástica, não tenho palavras para descrever como é bom o sentimento espiritual e religioso. Você ser bem tratado por pessoas que você nunca viu, amor ao próximo e simpatia do povo brasileiro, as histórias. Muitas pessoas me entregaram fotos no caminho para eu deixar em Aparecida, isso é uma grande responsabilidade que confiaram a mim, observa.

O viajante relata toda a sua experiência na sua página na rede social do Facebook, e recebe apoio dos amigos virtuais, e também dos que encontra no decorrer dos quilômetros, pessoas que o ajudam, doam comida e até um lugar para dormir. Tem muita gente boa, e esse carinho é a algo que transpõe todas a barreiras sociais e religiosas. Todos por uma fé em Deus, sem distinção de raça, credo ou cor, conclui.


Veja Também