Comunidade adere a campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher

Várias ações foram realizadas desde o dia 20 de novembro, e se encerraram na quinta-feira (5). Atividades tiveram grande participação da população
Campanha contou com a presença das mulheres da comunidade de Prudentópolis (Foto: Reprodução)

Com o intuito de sensibilizar, prevenir e eliminar a violência contra mulheres e meninas em Prudentópolis e em todo o Brasil, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Assistência Social, em parceria com o Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres, aderiu à campanha 16 Dias de Ativismo, em que realizou várias ações com palestras, entrevistas, instruções e rodas de conversas sobre o assunto.

As atividades começaram no dia 20 de novembro com uma oficina em que foi feito um panorama sobre a violência que muitas mulheres sofrem em Prudentópolis, e como funciona a rede de atendimento a elas. Depois disso, várias outras ações foram realizadas, encerrando na quinta-feira (5), com uma reunião ampliada promovida pelo Conselho, que foi reativado em agosto.

A campanha teve grande adesão de todo o município, foram 16 dias debatendo o tema que contou com a participação e interação das equipes das escolas, dos alunos, colaboradores da Prefeitura, advogados, juízes, psicólogos, assistentes sociais e a comunidade. Os temas importantes discutidos foram sobre a violência em si e seus tipos, relacionamentos abusivos, como combater, papéis sociais do gênero, entre outros.

De acordo com a presidente do Conselho dos Diretos das Mulheres, Andréa A. E. Mendes Pontarolo, todo este trabalho foi importante para as mulheres do município. “Foi um conjunto de atividades descentralizadas, visando o protagonismo da sociedade civil, com o objetivo de alertar a sociedade prudentopolitana para a importância de dar visibilidade ao cenário da violência contra a mulher, a fim de mudá-lo, preveni-lo. Muitas mulheres vítimas de diferentes tipologias de violência se calam. Não podemos ser omissos, inertes. Não podemos contribuir para a continuidade velada dessas violências. A campanha termina hoje, mas o enfrentamento da violência direcionadas às mulheres, por toda a sociedade civil, deve ser contínuo e diário”, comenta.

A psicóloga do CRAS, Priscila L. Bernardino, que realizou uma das oficinas, falou sobre a campanha. “Esta iniciativa faz parte do cronograma da campanha, que é da Secretaria da Assistência Social, e ela surgiu, justamente, porque o Conselho foi reativado em agosto deste ano, devido a constante demanda e o crescimento da violação dos direitos em relação as mulheres. Então, buscamos realizar esta ação visando fomentar o debate e discussão a respeito disso, sensibilizar as pessoas e mobilizar em relação ao assunto”, disse a psicóloga em um vídeo na rede social da Prefeitura.

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER É CRIME, DENUNCIE. LIGUE 180.


Veja Também