Conexão Araucária auxilia produtores agrícolas do Paraná a regularizarem situação no CAR

 O projeto Conexão Araucária vai restaurar 335 hectares de Floresta com Araucárias até 2021, por meio de parcerias com produtores da agricultura familiar da região sudeste do Paraná. As atividades são realizadas pela Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS) e não têm custo financeiro para os produtores.
Projeto inclui orientação técnica, insumos, mudas e mão de obra de plantio para os agricultores vinculados à empresa JTI. (Foto: Créditos: Divulgação/SPVS)

 O projeto Conexão Araucária vai restaurar 335 hectares de Floresta com Araucárias até 2021, por meio de parcerias com produtores da agricultura familiar da região sudeste do Paraná. As atividades são realizadas pela Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS) e não têm custo financeiro para os produtores. O projeto inclui orientação técnica, insumos, mudas e mão de obra de plantio para os agricultores vinculados à empresa JTI que estejam interessados em regularizar as chamadas Áreas de Preservação Permanente (APP), protegidas por lei.

 O trabalho do Conexão Araucária já começou nos municípios de São Mateus do Sul, Rebouças e Rio Azul e pode passar também por São João do Triunfo, Palmeira, Mallet e Paulo Frontin. A coordenadora do projeto da SPVS, Vitória Yamada, explica que a legislação brasileira exige que alguns trechos tenham cobertura vegetal, mesmo em pequenas propriedades privadas. Áreas como margens de rios e nascentes, topos de morros e encostas são fundamentais para manter as condições do solo e da água. Por isso são protegidos como APP, afirma a bióloga.

 Ela destaca que o Conexão Araucária é uma oportunidade para que os proprietários possam regularizar sua situação no Cadastro Ambiental Rural (CAR) gratuitamente e contribuir para a proteção dos serviços prestados pelas áreas naturais na manutenção da oferta de água, por exemplo. Uma segunda fase do CAR vai verificar propriedades que estão irregulares perante a legislação e os proprietários deverão providenciar seus projetos de recomposição de áreas degradadas e/ou alteradas. O produtor que se engajar no Conexão Araucária receberá toda a orientação e os recursos necessários para essa recomposição, explica Yamada.

 O Projeto tem realizado reuniões de mobilização com produtores da região. Em São Mateus do Sul, primeiro município atendido, 36 produtores já se voluntariaram a receber a visita do Projeto e algumas propriedades na bacia do Rio Taquaral já estão em restauração. Em Rio Azul e Rebouças, cerca de outros 80 produtores já deram anuência para a visita técnica. Durante estes encontros, os produtores recebem informações sobre o Projeto, benefícios da conservação da natureza em suas propriedades e são incentivados a voluntariamente aderirem à ação, além de terem a oportunidade de sanar suas dúvidas com a equipe técnica.

 Para viabilizar a iniciativa, a SPVS conta com o investimento do Governo Federal via financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e apoio da empresa JTI como principal parceiro no desenvolvimento das atividades do Projeto. Os produtores não precisam recorrer ao BNDES para receber o benefício. A concessão para que seja feita a restauração em suas propriedades é feita via SPVS, no momento em que os proprietários aderem ao Projeto Conexão Araucária.

Mais do que cumprir a lei, o produtor estará contribuindo para a manutenção dos serviços ecossistêmicos, pois a vegetação natural aumenta a resiliência da área frente aos eventos climáticos extremos. Agricultura e áreas naturais A proximidade de áreas naturais com propriedades agrícolas pode gerar ganhos de produtividade. A presença de espécies da fauna nativa, como aves e insetos, em lavouras funciona como medida de controle biológico para pragas agrícolas. Um exemplo é o controle que as joaninhas exercem sobre pulgões, praga de diversas culturas. Alguns insetos, como as abelhas, também desempenham papel importante na polinização, ajudando na produção de frutos e grãos.

No Paraná, diferentes estudos demonstram que a soja, na presença de polinizadores, pode apresentar incrementos de até 57% na produção. Já a fauna do solo, composta pelas minhocas, ácaros e cupins, torna o solo agrícola mais fértil. A oferta de água e o controle da erosão também são benefícios da proximidade de áreas naturais para a agricultura.


Veja Também