Dia Mundial do Rim: saúde para todos

Estimativa é de que mais de 10 milhões de pessoas tenham doença renal crônica, segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia
["Quando o rim n\u00e3o funciona adequadamente, h\u00e1 altera\u00e7\u00e3o nos n\u00edveis de press\u00e3o"] (Foto: SAÚDE é Vital)

Idealizado pela Sociedade Internacional de Nefrologia (ISN), o Dia Mundial do Rim foi comemorado na quinta-feira (14) neste ano. O objetivo desta data é aumentar a conscientização sobre a crescente presença de doenças renais em todo o mundo e a necessidade de estratégias para a prevenção e o gerenciamento dessas doenças. A saúde do rim para todos, em qualquer lugar, propõe uma cobertura universal de saúde para a prevenção e o tratamento precoce da doença renal.

De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia, a prevalência da doença renal crônica no mundo é de 7,2% para indivíduos acima de 30 anos e 28% a 46% em indivíduos acima de 64 anos. No Brasil, a estimativa é de que mais de 10 milhões de pessoas tenham a doença. Destes, 90 mil estão em diálise (um processo de estímulo artificial da função dos rins, geralmente quando os órgãos tem 10% de funcionamento), número que cresceu mais de 100% nos últimos dez anos.

Insuficiência renal é a condição na qual os rins perdem a capacidade de efetuar suas funções básicas. A insuficiência renal pode ser aguda, quando ocorre súbita e rápida perda da função renal, ou crônica, quando esta perda é lenta, progressiva e irreversível.

DOENÇA RENAL CRÔNICA

A doença renal crônica está associada a duas doenças de alta incidência na população brasileira: hipertensão arterial e diabetes.

Como o rim é um dos responsáveis pelo controle da pressão arterial, quando ele não funciona adequadamente há alteração nos níveis de pressão. A mudança também sobrecarrega os rins. Portanto, a hipertensão pode ser a causa ou a consequência da disfunção renal, e seu controle é fundamental para a prevenção da doença.

Já a diabetes pode danificar os vasos sanguíneos dos rins, interferindo no funcionamento destes órgãos, que não conseguem filtrar o sangue corretamente. Mais de 25% das pessoas com diabetes tipo I e 5 a 10% dos portadores de diabetes tipo II desenvolvem insuficiência renal.

Outras causas são: nefrite (inflamação dos rins), cistos hereditários, infecções urinárias frequentes que danificam o trato urinário e doenças congênitas.

TRATAMENTO

A insuficiência renal pode ser tratada com medicamentos e controle da dieta. Nos casos mais extremos, pode ser necessária a realização de diálise ou transplante renal, como terapêutica definitiva de substituição da função renal.


Veja Também