Dois policiais militares são presos em Irati

Alto comando da Polícia Militar do Paraná decidirá sobre a permanência ou não na corporação
Major Flávio Ferraz e delegado Paulo Cesar Ribeiro (Foto: Patricia de Paula)

Na terça-feira (28), ocorreu a prisão de dois policiais militares em Irati, por serem suspeitos de estarem envolvidos com o crime organizado da região, a ação foi realizada por policiais de Ponta Grossa. O trabalho é resultado de uma ação conjunta entre a Polícia Militar e a Polícia Civil, que iniciaram uma investigação após o confronto armado que ocasionou a morte de sete pessoas, no município de Prudentópolis, dia 30 de abril deste ano.

O major Flávio Ferraz falou a respeito das investigações feitas em conjunto com a Polícia Civil de Irati. “Desde aquele fato, em Prudentópolis, iniciaram rumores de que pessoas envolvidas no crime organizado estariam ameaçando alguns policiais, com base nisso, foram feitas algumas investigações e recebemos denúncias de que policiais estariam passando informações a estes criminosos”, afirma o major.

O trabalho de ambas as equipes culminou na prisão destes dois policiais. Os infratores estão recolhidos em um quartel militar, em Imbituva, por cinco dias, posteriormente, se não for aumentado essa prisão eles serão soltos. “Continuará correndo a apuração, dentro da Polícia Militar e da Polícia Civil, as investigações continuam para que depois seja encaminhado ao alto comando para verificar se, eles têm ou não, condições de permanecer na corporação. Essa decisão é exclusiva do comando geral da Polícia Militar do Paraná”, disse Ferraz. O major também deixou claro que a Polícia não compactua com o desvio de conduta e se for comprovada a fraude, certamente, serão punidos.

O crime e a Polícia não podem estar juntos

Major Ferraz

A Polícia Civil fará a quebra de sigilo para que a PM tenha acesso aos celulares e contas bancárias dos policiais. O delegado, Paulo Cesar Eugenio Ribeiro, explicou como foram feitas as investigações e como vão proceder a partir de agora. “Diligências de campo, técnicas e perícias foram realizadas e levou até esta primeira operação, conseguimos trazer ao inquérito policial outros elementos importantes e relevantes que comprovaram o envolvimento de policiais militares. A partir disso, foi solicitado ao juiz o mandado de prisão destes dois policiais, juntamente de seis mandados de busca e apreensão”, esclarece o delegado.

Após a prisão, a investigação passa por uma fase mais técnica de análise dos elementos coletados nas duas operações, oriundos da operação em Prudentópolis e em Irati. “É importante lembrar a população que estes dois trabalhos são resultado da parceria entre a PM e a PC, isso foi extremamente importante para alcançar o sucesso destas operações. Mostra o comprometimento da Polícia Militar em dar segurança às pessoas”, finaliza Ribeiro.


Veja Também