É tempo de celebrar o amor: Três casais do Lar dos Velhinhos mostram que o amor não tem idade nem local

Os seis se conheceram na instituição e vão se casar neste sábado (21), em uma cerimônia coletiva
Os três casais do Lar dos Velhinhos, Olinda e Sebastião, Antônio e Conceição, Antônia e José (Foto: Devotcha)

O dia 21 de dezembro vai entrar para a história do Lar dos Velhinhos de Rio Azul, porque três casais resolveram selar a sua união e vão se casar. A cerimônia, que acontece neste sábado (21), foi possível devido a ajuda de voluntários que vão realizar o sonho destas seis pessoas.

Os casais, Antônia Felix França da Silva e José Domingues; Antônio Gaioski Leal e Conceição Moreira Sidoski; Olinda Przyzimirski e Sebastião Dias, são os noivos que vão entrar na igreja Matriz Sagrado Coração de Jesus, no sábado, a partir das 15h40.

O diretor do Lar, Talbian Raony Przybycz, conta que quase 80 voluntários estão ajudando com os preparativos para o casamento desde a cerimônia até a confraternização no dia seguinte. Tudo que está sendo preparado é com doações, como os convites de casamento, comida para preparação do bufê, os materiais necessários, fotos e vídeo do dia, roupas dos noivos, entre outras.

Ele comenta como estão os preparativos. “Nós temos pessoas doando e se doando para este dia. Temos uma festa preparada para o dia 21 e 22, serão dois dias para três casais. A gente está torcendo para que tudo dê certo e corra bem. A festa vai ser grande, promete”. 

O casal da empresa Umalu, Lucinéia de Castro e Luiz Fernando Afonso de Castro, cerimonialista e mestre de cerimônias, respectivamente, são dois dos voluntários que estão participando na preparação. Eles falam da experiência que estão vivendo. “Nosso trabalho está aonde está o amor. O fato de acontecerem três casamentos no dia 21 de dezembro, vai além de um número estatístico. E quando soubemos, logo entramos em contato com a coordenação do Lar nos colocando à disposição, para junto com os demais colaboradores, poder brindar os noivos com o nosso melhor. Afinal, se uma história de amor já é digna de tal doação, imagina três”, disseram em nota da Umalu.

Para eles, é uma satisfação participar desse dia. “Cremos no amor. No amor entregue no trabalho, celebrado, sinceramente experimentado, testemunhado, partilhado. Se existe um sentimento que transforma a vida das pessoas, é o amor. E num dia tão especial, de amores tão autênticos e desprendidos de rasos interesses, sentimo-nos imensamente felizes, em poder participar disso tudo, com aquilo que sabemos”.

 “O AMOR ESTÁ NO LAR”

O casal, José e Antônia, está junto há mais de um ano, e irão morar na mesma casa após o casamento. Em meio aos sorrisos, Antônia conta como iniciaram o romance. “ Falaram para mim quando ele chegou aqui: Aquele rapaz quer achar uma guria. E ele começou de olho em mim, mas eu não queria, estava de olho em outro e me falaram: Namore o Jose, ele é gente boa. Depois daquilo foi passando eu me interessei e começamos a namorar”, conta. José disse que se apaixonou por Antônia no momento em que a viu, por isso insistiu no namoro.  Ambos estão animados para o casamento e aguardam a prova final das roupas dos noivos.

Antônio e Conceição já moram juntos na instituição, eles estão namorando há um ano e sete meses. Antônio vive há dois anos no Lar, já Conceição há 14. Quando comenta sobre o início do namoro, Conceição é só sorrisos para o futuro marido. “Eu estava carpindo e ela me pediu para carpir o jardim dela, aí começamos de conversa, ela falou para mim que eu sou novo, achava uma moça nova, que ela já era de idade. Mas eu fui gostando dela e ela de mim, e ficamos juntos”, disse feliz Antônio. Quando perguntamos do casamento, ambos expressam a alegria desse momento. “Já está tudo certo para o casamento, provei o terno, fiquei bonito, a Conceição também”, disse.

O casal animado, Olinda e Sebastião, namora há mais de um ano e, em meio as brincadeiras, comenta como começou a vida dos dois juntos. “Nós nos conhecemos depois de tempo que estávamos no Lar, fomos conversando até que deu o namoro”, comenta Olinda. Sebastião esteve em várias regiões do mundo e após a morte de sua mãe foi para o Lar, sorrindo ele fala como entrou a mulher que queria. “Eu não sabia que tinha mulher para mim aqui, aí encontrei com a Olinda, me encantei, ela é trabalhadeira, eu também sou e aí que a vida vai, da pessoa ser assim”.

Brincando, Sebastião fala do dia do casamento. “Ansioso eu não estou, mas estou pensando, tem que pensar primeiro para daí continuar a festa”. Já Olinda não vê a hora de ver o vestido de noiva. “Estou tranquila, vejo ele todos os dias, quero fazer a prova do vestido porque ficou lindo. Vou arrasar no dia”, disse feliz.

Essas três grandes histórias vão ser representadas em um documentário que está sendo preparado com o tema “O Amor está no Lar”, mostrando a vida dos casais. Todo eles se conheceram na instituição, e começaram a namorar. Eles irão morar em uma das 10 casas do Lar dos Velhinhos.

INÍCIO DE TUDO

A ideia de fazer os casamentos coletivos surgiu da vontade do casal que já mora junto, Antônio e Conceição, que conversaram com o diretor da instituição e eles se mobilizaram para realizar o sonho deles. “A ideia surgiu da vontade de um dos casais, com isso, veio a vontade dos outros dois casarem juntos, mas aí a gente decidiu fazer com que esperassem para se casarem que era a vontade deles”, comenta Przybycz.

Segundo o diretor, depois de pensarem em fazer o casamento, começou a movimentação para conseguir os voluntários e as doações. “Vamos fazer o casamento sem sair nada do bolso do Lar é tudo com doação. Foi desta forma que aconteceu, foi se desenhando, inclusive, os casamentos aconteceriam em três datas diferentes, mas a partir de compromissos por parte do pároco acabou ficando uma data para os três e, no fim das contas, acho que vai ser mais especial ainda”.


Veja Também