Eles não são inofensivos

O uso de aparelhos eletrônicos na infância afeta o desenvolvimento cognitivo.

Os aparelhos eletrônicos não são o problema, e sim o mau uso deles. Crianças que utilizam eletrônicos em excesso e que não brincam, não correm, não andam de bicicleta e não fazem outras atividades, podem ter atraso no seu desenvolvimento.

Brincadeiras e outras atividades fazem parte do desenvolvimento da criança, pois quando elas estão ativas, os sistemas de criatividade, coordenação, tempo e espaço são acionados e se desenvolvem.

A utilização inadequada da tecnologia atrapalha o sono, a atenção e compromete o desempenho. A luz azul emitida pelos eletrônicos afeta a produção de melatonina, o hormônio que prepara o corpo para o repouso e as consequências disso são: sonolência durante o dia, dor de cabeça, ansiedade, alterações do humor, dentre outras. Portanto, devemos suspender o uso de eletrônicos uma hora antes de dormir.

Recomenda-se o não uso de eletrônicos para crianças que ainda não tenham dois anos de idade. Dos 2 aos 3 anos, o tempo deve ser limitado a no máximo 30 minutos diários. Já de 4 a 6 anos, o tempo sobe para uma hora por dia. E para crianças de 7 anos até a adolescência, duas horas diárias.


Veja Também