Em palestra, membros do Cilla Tech Park compartilham ideias para o desenvolvimento econômico de Irati

Durante o evento foi apresentado projetos para integrar poder público, comercio e instituições de ensinos para fomentar o turismo e a geração de empregos
Projeto visa geração de empregos e traz propostas para o turismo da cidade (Foto: Lorena Panassolo)

Na quarta-feira (24), aconteceu uma palestra na Câmara Municipal dos vereadores de Irati para apresentar as propostas do Cilla Tech Park que ajudará no desenvolvimento econômico de Irati e dos municípios da região, além de destacar a importância da integração entre agropecuária – poder público – universidades – comércio. Um dos objetivos da marca é compartilhar informações e inserir vários setores para que juntos possam desenvolver a região a partir de projetos para fomentar o turismo.

“O mundo contemporâneo é de quem sabe compartilhar. Não é suficiente mais deter a informação, é tão importante quanto ou até mais compartilhar essa informação. Então se nós temos um projeto de desenvolvimento regional, nada melhor do que circularmos por todos esses municípios”, pontua o Diretor de Relações Institucionais do Cilla Tech Park, Marcio Fernandes.

Com isso, vem crescendo a ideia de implantar o projeto na cidade e, além de reuniões e palestras com empresários e o poder público, o Cilla Park está mantendo contatos na cidade, conhecendo indústrias da região para entender o que cada empresa precisa para o crescimento. Membros já visitaram a Moageira e a Fobras.

A fim de melhorar os processos de fabricação da matéria prima, integrar os processos desenvolvidos na fábrica e com expectativas de melhorar o desempenho através de tecnologias, a Fobras, empresa fosforeira brasileira com sede em Irati iniciou uma parceria. “São três gargalos interessantes, desafiantes e nós buscamos as melhores cabeças, seja do nosso time ou consultores externos para conseguir entregar em poucos meses soluções que de fato signifiquem uma eficiência nos recursos, otimização no sistema de produção, ambiente de trabalho ainda mais interessante e assim por diante”, pontua Fernandes.

Com o objetivo atrair e desenvolver através de tecnologia e sustentabilidade para gerar mais empregos e oportunidades, o CTP já visitou outras cidades da região, como Turvo, Laranjeiras do Sul, Prudentópolis, Mato Rico e várias cidades do Centro-Sul para unir-se com prefeituras, lideranças empresariais e lideranças universitárias na busca por identificar projetos que possam melhorar o rendimento.

O projeto de Guarapuava visa abranger toda a região propondo parcerias, inovação e tecnologia. Para Oscar Muchau, empresário e Diretor de Assuntos Comerciais da ACIAI, eventos como esses vão despertar o interesse da comunidade para inovar, criando assim mais empregos. “Estando juntos em uma parceria que vai abrir nossas mentes e despertar a nossa comunidade, tanto o poder público como universidade como sociedade civil organizada, bem como a associação comercial a qual eu represento e até mesmo a própria comunidade”, afirma.

UNIVERSIDADES, TURISMO  E EMPREGOS

O centro tecnológico busca identificar as principais dificuldades, expectativas e encontrar soluções para cada localidade para gerar emprego e aumentar o desempenho, trabalha também com as universidades para geração de empregos e fornece projetos para fomentar o turismo. Como a Região de Irati é forte na agropecuária seja da fumicultura, olarias, erva-mate, fruticultura ou do agronegócio, além de estar próximo a uma das maiores rodovias do país, com fluxo de estrangeiros, propicio para região turística.

“Essa é uma região com ascendência de imigrantes muito forte, temos anualmente um fluxo muito grande de argentinos e paraguaios que cruzam essa área sentido ao litoral. Um dos nossos desafios é fazer com que eles permaneçam aqui por alguns dias, ao invés uma parada rápida para lanchar. Aquele roteiro de 10 – 12 dias que eles fazem, podem passar 1 ou 2 dias aqui”, exemplifica Marcio Fernandes.

A ideia é atrair mais turistas para a cidade e com essa parceria é fazer com que os turistas permanecerem mais tempo no município, gerando a economia local. “Isso vai fomentar os restaurantes, a rede hoteleira, então a prefeitura só é um vetor para trazer esses turistas aqui para Irati”, pontua o Secretário de Planejamento e Coordenação, João A. Almeida Junior.

Através do turismo também é possível movimentar a economia, gerando assim mais empregos. O Secretário de Planejamento e Coordenação acredita que “tendo mais turistas, mais pessoas aqui, vai precisar de mais mão de obra em toda a cadeia produtiva, sendo turística ou industrial”, aponta. A geração de empregos também reflete em outro âmbito, as instituições de ensinos.

A Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) tem ligação com o parque tecnológico e um de seus fundadores é professor da universidade. E além da instituição atuar como mediadora dessa parceria na cidade, ambos caminham junto e há projetos sendo desenvolvidos junto aos centros de estudos, principalmente para a geração de empregos.

O Presidente da Câmara dos Vereadores, Hélio de Mello, acredita que, além do conhecimento cientifico, é preciso colocá-lo em prática. “Ele precisa de uma oportunidade na sociedade para aquilo que ele aprendeu no banco escolar possa transformar e melhorar a vida das pessoas de uma cidade, melhorando a sociedade”, afirma. Desta forma, ele conclui que a sociedade não é apenas para o poder público, mas para todos os cidadãos. 

Uma das bases do CTP é a inovação, e é a partir dela que eles propõem e desenvolvem projetos para que pessoas abram novas empresas ou formatar uma pequena indústria já existente para assim gerar mais empregos. “É o despertar. Muitas vezes se pensa o porquê de não trazer novas indústrias para a cidade, mas nós temos que formatar as indústrias já existentes, mesmo sendo uma pequena indústria, ou até mesmo abrir uma micro empresa. Muitas vezes começa pequeno e a comunidade começa a aceitar esse produto, começa com marketing e ela começa a ganhar folego”, aponta Muchau.


Veja Também