Falta de chuva em todo o Paraná prejudica o rendimento da lavoura em Prudentópolis

Disponibilidade da água é importante, principalmente, em dois períodos de desenvolvimento da planta que são na germinação e floração
Mananciais levarão muito tempo para recuperar as condições normais de abastecimento (Foto: Reprodução)

O município de Prudentópolis vem sofrendo com a falta de água, a maior dificuldade está na zona rural e praticamente metade da população reside no interior, sendo que mais de oito mil produtores estão enfrentando a estiagem. Os grandes impactos foram nas produções chamadas de safrinhas de grãos, horticultura, pecuária e leite.

O município vem, há alguns anos investindo na tentativa de prevenir que isto ocorresse, porém, não foi suficiente. Desde o ano de 2018 até 2019 Prudentópolis investiu aproximadamente R$ 550.699 na perfuração de poços artesianos e na estrutura para fornecimento de água para aproximadamente cinco localidades rurais. Em 2020, foi iniciado um novo projeto de aproximadamente R$ 557.951 que visa atender mais algumas localidades, ainda assim, não vai ser suficiente para estar regularizando o abastecimento nessas regiões da forma como é necessário.

Após levantamentos realizados pela Defesa Civil e Secretarias de Meio Ambiente e Agricultura de Prudentópolis, foram evidenciadas, através de comparações com outros históricos, anomalias negativas de precipitação em razão do nível de água e vazões registradas pela Simepar e no Instituto Água e Terra (IAT). Levando a declaração de situação de Emergência em áreas afetadas no Município pela Estiagem, através do Decreto Municipal nº 263, de 13/05/2020.

Há seis meses o município já vem apresentando queda na precipitação de chuvas, contudo, a anomalia atingiu todo o Paraná de forma generalizada, em alguns locais com déficit de até 90%. Em Prudentópolis, os valores de déficit chegam aproximadamente a 55%, relativamente, a área rural apresentou maior prejuízo de distribuição do equilíbrio hídrico.

Esse período de estiagem, reconhecido a nível estadual - Decreto Estadual nº 4678, de 18/05/2020, que atinge todo o Paraná e interfere nas atividades diárias de todos os cidadãos, apresenta um impacto tanto social, quanto de produção, desde as famílias que residem em áreas desfavoráveis, até as grandes produções do agronegócio.

“Sem chuva, há uma interrupção no ‘’ciclo hidrológico’’, ou seja, quando o ciclo sofre importante interrupção e sem chuvas, não haverá água suficiente para o consumo de toda população. Assim como, as novas medidas de combate à proliferação do novo coronavírus, a água é utilizada múltiplas vezes, por isso é tão importante compreender que o momento demanda o uso consciente da água com severa economia”, aponta nota da Prefeitura.

Segundo Governo do Estado do Paraná, o Simepar alerta, ainda, que o período de estiagem no Estado deve se estender pelo menos até setembro, criando um cenário de seca ao logo do outono e do inverno. Com isso, os mananciais levarão ainda mais tempo para recuperar as condições normais de abastecimento.

Houve levantamento em conjunto com técnicos da Prefeitura Municipal de Prudentópolis, técnicos locais do escritório da IDR-PR, Assistência Técnicas Privadas, Representantes das Associações Rurais do Município, Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável e Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Sindicato Rural, levantamento este que chegou nas percentagens médias de quebra em toda produção no município nesse período de estiagem.

Dados do DERAL para aproximação de valores.

 


Veja Também