Menino Nathan realiza ações para continuar seu tratamento

A família Patryzyk, junto de amigos e apoiadores, faz várias atividades em artesanato, rifas e oficinas
Na foto, Nathan Patrzyk, junto da irmã Nathaly e da mãe Ariane, que buscam ações para o tratamento (Foto: Devotcha)

Continuam as ações para ajudar o menino Nathan Willian Patrzyk, para dar continuidade ao seu tratamento, que agora acontece a cada 60 dias. Ele, junto dos familiares e amigos, está desenvolvendo artesanatos para venda, rifas e também oficinas para crianças.

Em sua casa é possível ver todos os formatos disponíveis para vendas do MDFS, que ele mesmo produz, com material doado e com a ajuda de amigos. Também duas rifas estão sendo vendidas, uma no posto Progresso, que concorre a uma mesa dobrável e um tanque de combustível, a outra é da Peixaria Camilo, que concorre a um aquário com peixes e outro sem. Ambas custam R$ 5.

Na última semana, em comemoração ao Dia das Crianças, sua mãe, Ariane Patrzyk, teve a ideia de realizar oficinas com as crianças. Elas foram feitas em sua casa, e várias crianças compareceram, e puderam aproveitar as atividades como a produção de slime e cupcake, que foram algumas das aulas. Patrzyzk fala como foram as oficinas. “Foi muito legal ver as crianças felizes, também por estarem fazendo alguma coisa para me ajudar, é muito legal mesmo”.

Nathan também comenta sobre a visita ao Rio de Janeiro, em que desfilou na Sapucaí, a contive te amigos, com todas as despesas custeadas por eles. “Fomos convidados pelo meu padrinho do Rio e os amigos para participar, eles pagaram todas as despesas e fomos lá, foi muito divertido e emocionante desfilar. Também foi muito interessante essa ida, porque consegui representar todas as crianças especiais. Foi muito bom”.

Agora, Nathan realiza o tratamento de células tronco no Paraguai, e precisa ir para o país a cada 60 dias. Essa aplicação só foi possível devido a retirada das células tronco da polpa do dente de leite da irmã, Nathaly Patrzyk, que foi armazenado em São Paulo em 2015, mas como no Brasil não é permitida a aplicação, foram para o Paraguai.

O adolescente iniciou o tratamento na Tailândia, porém o custo para a família era muito mais alto (US$ 33 mil dólares, cerca de R$ 120 mil), e precisava ser feito a cada seis meses. No Paraguai o tratamento custa US$ 5 mil dólares (mais de R$ 20 mil), por isso a família realiza as ações.

A mãe de Nathan diz que quem quiser também pode ajudar a família com ideias do que fazer para arrecadar fundos para o tratamento. Ele, como sempre simpático e agradecido pela ajuda, retribui o apoio. “Muito obrigado por tudo. Força, Nathan, amigos para sempre, muito obrigada por tudo, amigos”.

COMO AJUDAR

Os MDFS produzidos pela família e amigos são encontrados na casa dele. Nathan sempre divulga em sua página no Facebook (Força Nathan – Amigos para sempre). As rifas estão sendo vendidas nos estabelecimentos comerciais que realizam a parceria. Também podem ser feitos depósitos bancários.

“ Peço uma mãozinha sua para que meu irmãozinho continue dando seus passos. Agradeço a Deus de coração, e peço a todos a proteção”.  - Nathaly Patrzyk


Veja Também