Municípios da AMCESPAR seguem medidas restritivas impostas pelo Governo do Paraná

O sistema de saúde do Paraná está à beira de um colapso e o novo decreto visa combater o corona vírus no Estado. Inicialmente as medidas deverão ser cumpridas até 8 de março
Prefeitos da AMCESPAR acatam novo decreto Estadual de combate ao COVID-19 (Foto: Nilton Pabis )

Na manhã dessa sexta-feira (26), foi realizada a primeira reunião de 2021 com todos os prefeitos da Associação dos Municípios da Região Centro-Sul do Estado do Paraná (AMCESPAR) para discutir os próximos passos na região a fim de combater o COVID-19. Ao final, foi decidido cumprir o Decreto Estadual nº 6983/2021, divulgado hoje pelo Governo Estadual do Paraná.

Com o sistema de saúde prestes a entrar em colapso devido a pandemia, o Governador Carlos Massa Junior (PSD) decretou medidas restritivas de caráter obrigatório a partir das 05h de amanhã (27). Durante a apresentação do novo decreto que foi realizada na manhã de hoje (26), em Curitiba, o governador apontou que a 4ª Regional de Saúde, localizada no Centro-Oeste do Estado, é a única que ainda está em estagio laranja da doença, sendo a melhor condição.

Contudo, a AMCESPAR acordou as regras estaduais para se solidarizar com outras regiões que estão em estado grave para que “possamos economizar o sistema de saúde nas outras regionais em caso de internamento e também pelos profissionais de saúde que já estão no esgotamento de sua capacidade de trabalho”, afirma o Presidente da AMCESPAR, Junior Benato.

Haverá toque de recolher das 20h às 05h, as aulas tanto do ensino público como do privado não irão voltar, as Industrias poderão continuar abertas, porém o comércio não essencial deverá permanecer fechado até 8 de março. Quanto a fiscalização, principalmente de festas clandestinas, será realizada pelos órgãos competentes, como Policia Militar, Vigilância Sanitária e Guarda Municipal.

 

Segundo Cleonice Schuck, Presidente do Consorcio Intermunicipal de Saúde (CIS), esse é um momento cauteloso, muito difícil e que a população precisar ter consciência. “Quase não temos mais vagas nas UTI’s e nem nos hospitais e não adianta abrirmos novas vagas se não tivermos profissionais para trabalhar, os profissionais da saúde também estão em estado de exaustão”, alega.

Entre as novas medidas estão: Suspensão ou funcionamento de serviços não essenciais, proibição de comercialização ou consumo de bebidas alcoólicas em espaços públicos entre as 20h as 05h, bem como a circulação nesses espaços, intensificação de fiscalização, entre outras medidas. Caso haja descumprimento do decreto será aplicado uma multa.

 


Veja Também