Nossa dificuldade de consciência coletiva

Na edição de 8 de fevereiro, trazemos um assunto que está presente em nosso cotidiano: o lixo. Parece que, ao colocarmos as sacolinhas na rua, na cerca ou na cestinha de casa, nos livramos deste problema que, daí em diante, não passa a ser mais nosso. Mas a geração e destinação do lixo é um problema do mundo todo.

Na edição de 8 de fevereiro, trazemos um assunto que está presente em nosso cotidiano: o lixo. Parece que, ao colocarmos as sacolinhas na rua, na cerca ou na cestinha de casa, nos livramos deste problema que, daí em diante, não passa a ser mais nosso. Mas a geração e destinação do lixo é um problema do mundo todo.

Em Irati, são produzidas, aproximadamente, 35 toneladas de lixo por dia, que são encaminhadas ao Aterro Sanitário. Deste tanto, uma boa parte vai para lá sem nenhuma necessidade, pois temos a coleta reciclável e, principalmente, pessoas que sobrevivem deste trabalho. Para tentar maximizar a consciência da população, a coleta está acontecendo duas vezes por semana, enquanto que o lixo orgânico é recolhido três vezes.

Infelizmente, como falta responsabilidade a uma parte da população, o município teve que apelar: se não separar os materiais recicláveis do lixo orgânico, ambas as equipes de coleta não os recolherão. Simples assim.

Antes de misturarmos uma garrafa pet com resto de comida, devemos lembrar que tudo vira renda para as famílias dos 45 trabalhadores da Cooperativa Cocair e a Associação Malinoski. Reciclagem envolve renda, sobrevivência, emprego e economia. Então, precisamos fazer nossa parte, de uma vez por todas, para que a separação (que é fácil) vire rotina.

Não é falta de informação, mas sim, de pensar no coletivo! Sustentabilidade é cuidar do meio ambiente, é fazer a sua parte, é desenvolvimento, saúde, educação, produção e gestão de forma inteligente para não comprometermos o futuro.