Os grandes desafios dos gestores municipais

É preciso muita união de todos os eleitos e até mesmo dos candidatos que não se elegeram e tinham boas propostas e projetos
Vanderlei Kawa, presidente interino da AMCESPAR (Foto: Arquivo Folha de Irati)

O Brasil tem 5.570 municípios, cada uma dessas cidades, incluindo nossos 10 municípios integrantes da AMCESPAR, terão inúmeros desafios aos próximos anos. Cada um dos nossos municípios tem problemas idênticos, com algumas particularidades buscando sempre soluções que levam em conta sempre esse contexto local, porém é possível identificar alguns gargalos comuns a grande parte das maiores cidades como também das pequenas, entre esses pontos estão a queda de arrecadação de impostos depois da grande paralização diante da pandemia da Covid-19, a demanda reprimida no serviço de saúde, pequenas e grandes empresas sendo afetadas, algumas fechando suas portas e assim gerando um grande desemprego da população.

Os municípios, mesmo com ajuda do Governo Federal e Estadual, no geral, a arrecadação das cidades se divide entre recursos próprios, como IPTU e ISS, e os repasses do FPM-Fundo de Participação dos Municipios, também uma participação no bolo do ICMS, verbas oriundas do Governo do Estado. Por outro lado, um terço dos municípios não tem nenhuma arrecadação própria e depende exclusivamente de repasses federais e estaduais. A maioria dos municípios tem certa dependência dos repasses do ICMS que é fortemente impactado pela recessão. O que poderá ajudar certamente são os consórcios de saúde, e os novos investimentos com parcerias dos governos Federal e Estadual. Teremos um cenário muito mais difícil do que já era, com uma enorme demanda de consultas e exames para o ano de 2021. A outra consequência é que o empobrecimento gerado pela crise econômica aumenta a pressão sobre o SUS- Sistema Único de Saúde, já que um grande número de pessoas não possuem nenhum plano de saúde, agora, terão que buscar o sistema público. A solução será a regionalização do serviço de atenção especializada com clinicas regionais.

Na área da educação, os municípios vão lidar com situações muito diversas entre si no ano 2021, com incertezas ainda e o retorno as aulas pós-pandemia também será um dos principais desafios, tanto em termos logísticos quanto pedagógicos. Na questão da saúde dos alunos, professores e funcionários, a necessidade de distanciamento, as questões de calendário, também teremos o desafio de cuidar da gestão pedagógica, já que se perdeu praticamente o ano letivo de 2020 e será preciso fazer uma recuperação da aprendizagem e uma reorganização curricular, segundo os especialistas na área da educação. Uma solução ou várias soluções só serão alcançadas também na união entre as secretarias de Educação, Saúde, Assistência Social, Cultura e Esporte.

Outro desafio é na política habitacional: moradia e urbanização de bairros. A população mais pobre, que normalmente é a mais carente de habitação, não consegue alcançar as faixas de renda de financiamentos, qual solução buscar? A solução passa por várias políticas que devem ser integradas como a assistência social, moradia, saúde, melhorias de abrigos, educação e combate à pobreza e à desigualdade.

A campanha eleitoral é necessária, pois somos um país democrático, para mim, a campanha é um campeonato de conquista de votos, e para isso é preciso muito discurso, muitas promessas e depois o povo deve cobrar as ações, mesmo diante de tantos desafios pela frente de uma administração municipal, os meios para realizar essas ações de programas e projetos virão dos orçamentos, de investimentos corretos e fundamentais que melhorem e gerem qualidade de vida da população.

É preciso muita união de todos os eleitos e até mesmo dos candidatos que não se elegeram e tinham boas propostas e projetos; como Presidente interino da AMCESPAR, neste ano de 2020 até janeiro de 2021, aprovado em sessão pelos Prefeitos, quero parabenizar em nome de nossa Entidade Municipalista Regional que integra os prefeitos, prefeita e seus vices reeleitos: Jorge Derbli de Irati, Junior Benato de Inácio Martins, Luiz Zak de Rebouças, Moacir Szinvelski de Mallet, Lula Thomaz de Teixeira Soares e Cleonice Schuck de Fernandes Pinheiro. E também acolhemos em 2021 os novos Prefeitos eleitos: Osnei Stadler de Prudentópolis, Celso Kubaski de Imbituva, Leandro Jasinski de Rio Azul e Marcos Chiaradia de Guamiranga, este ainda com sua candidatura indeferida, aguardando oficialização em 2021. Agradecemos a convivência e parceria que tivemos com os Prefeitos Bertoldo Rover de Imbituva, Adelmo Koslowski de Prudentópolis, Ângelo Machado de Guamiranga e Rodrigo Solda de Rio Azul, que com grande competência e dignidade cumpriram essa missão de administrar seus municípios, suas conquistas ficarão marcadas na história da AMCESPAR e de seus municípios; gestão que termina em 31 de dezembro de 2020.

Viva a nossa democracia. Viva a AMCESPAR, uma região em desenvolvimento e queremos em 2021 continuar juntos para transformar, qualificar, estruturar, planejar e fortalecer nossa Região Centro Sul do Paraná.


Veja Também