Paulo Guedes vai avaliar pedido do décimo quarto (13º) salário de aposentados e pensionistas do INSS

Paulo Guedes vai avaliar pedido do décimo quarto (13º) salário de aposentados e pensionistas do INSS| Crédito da imagem: Sérgio Lima/Poder360

Paulo Guedes vai avaliar pedido do décimo quarto (13º) salário de aposentados e pensionistas do INSS. Veja o documento.

A 1ª Secretária da Câmara dos Deputados está enviando um requerimento – a Indicação da Câmara (INC) 704/2020 –  ao Ministro da Economia Paulo Guedes. Conforme apurou a reportagem do INFORME BRASIL, no documento, que já está pronto para ser encaminhado, consta o pedido para que Guedes libere o pagamento do décimo quarto (14º) salário de aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional de Seguro Social) em dezembro deste ano.

Na análise feita sobre o requerimento, a Mesa Diretora da Câmara considerou pertinente o pedido e autorizou a publicação no DCD no último dia 14. Em seguida, o envio do documento foi autorizado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.

Nesta segunda-feira (20/07), a 1ª Secretária da Câmara determinou o encaminhamento do pedido que deve chegar ao Ministério da Economia a qualquer momento. O autor do pedido é o deputado Jesus Sérgio (PDT/AC). Veja o documento logo mais abaixo.

“O governo federal tem uma grande oportunidade de implementar uma política social de grande relevância e que terá também um efeito positivo importante e imediato nos esforço que o governo está fazendo para a retomada do crescimento econômico. Refiro-me a implementação do 14º salário em caráter excepcional”, pontua o deputado no documento.

Assim que o pedido do décimo quarto chegar ao Ministério da Economia será entregue a Paulo Guedes. Cabe à ele aceitar pagar ou não o abono natalino. Em caso de aceitação do pedido, Paulo Guedes e o Presidente Jair Bolsonaro poderão editar uma Medida Provisoria (MP) determinando que o INSS efetue o pagamento extra em Dezembro.

Fonte: Câmara dos Deputados 

Aposentados e pensionistas precisam da grana extra

Segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) idosos, aposentados e pensionistas são os mais vulnerável nesta crise, e tem um peso econômico significativo. Pois eles representam mais da metade de toda a renda familiar de pelo menos 20,6% dos lares brasileiros.

Está comprovado que esses segurados do INSS se responsabilizam pelos cuidados das casas e muitos deles com os netos. A aposentada Ana Carla, por exemplo, afirma que ajuda no que pode nos cuidados de seu neto de 5 anos. “Tenho prazer em ajudar, mas pesa bastante no orçamento e as vezes falta grana. Espero que essa ´décimo quarto saia”, disse.

O que Dizem os especialista?

Especialistas ouvidos pelo INFORME BRASIL dividem opiniões sobre o tema. Alguns acreditam no bom senso do governo para liberar a grana extra. Outro acham muito difícil Guedes liberar o recurso, tendo em vista o momento difícil que o país está vivendo na saúde e economicamente.

Para pagar o décimo quarto, o Ministério da Economia precisaria desembolsar cerca de R$ 47,5 bilhões, beneficiando mais de 35 milhões de segurados do INSS. Dessa maneira, a grana seria recebida por  aposentados, pensionistas, além das pessoas que recebem auxílio-doença, auxílio-acidente ou auxílio-reclusão. Beneficiários do BPC não terão direito.


Veja Também